Coronavírus

Covid-19: Sindicato dos futebolistas indignado com atitudes dos clubes italianos

Itália é o país que vive o pior cenário de infeções com o novo coronavírus na Europa.

Especial Coronavírus

O Sindicato de futebolistas de Itália disse este sábado ser "triste e ultrajante" que alguns clubes continuem a pedir aos seus jogadores que vão treinar, no país europeu mais afetado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

O organismo, sem identificar os clubes, lamenta a situação e diz que alguns fazem "ainda pior" e convocam os jogadores "para medições diárias da temperatura". A Itália é o país que vive o pior cenário de infeções com o novo coronavírus na Europa, com 17.660 casos até hoje e 1.266 mortes associadas ao Covid-19.

O governo ordenou o confinamento obrigatório, o fecho de atividades e impôs restrições à circulação de pessoas. Os campeonatos de futebol foram igualmente suspensos até, pelo menos, 3 de abril.

Na nota, o Sindicato acrescenta que forçar os jogadores a deixarem as suas casas "é um ato vergonhosamente irresponsável" e que fazê-lo para assegurar o salário no final do mês "é o fim da cadeia de dignidade".

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.500 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 143 mil pessoas, com casos registados em mais de 135 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 169 casos confirmados.

Veja mais: