Coronavírus

Portway confirma caso positivo em trabalhadora no aeroporto do Porto

Nacho Doce

Paciente estava em isolamento antes da confirmação dos testes.

Especial Coronavírus

A Portway informou hoje que foi confirmado um caso positivo de Covid-19 numa trabalhadora que operava no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto

Em comunicado, a Portway esclarece que, face esta situação, acionou de imediato o plano de contingência, em colaboração com as autoridades de saúde e que a trabalhadora em causa já estava em casa em situação de isolamento antes de ter confirmado positivo.

"A Portway está a fazer todos os esforços possíveis e a tomar todas as medidas necessárias para conter a propagação do vírus entre os seus trabalhadores", reforça a empresa, referindo que está a avaliar todos os impactos que esta situação possa vir a ter na sua operação.

Segundo a Portway, antes deste caso, verificaram-se dois outros casos positivos de Covid-19, mas em candidatos em formação inicial na unidade do Porto, formação que decorria num edifício que fica separado do aeroporto Francisco Sá Carneiro.

"Esse edifício foi de imediato encerrado e desinfetado e vai manter-se fechado até novas indicações. Todos os trabalhadores dessas instalações foram colocados em quarentena profilática. Também foram contactados todos os formandos e trabalhadores com quem os formandos infetados possam ter interagido para que entrem em contacto com o SNS24 e sigam as indicações de forma absolutamente rigorosa", refere.

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 6.500 mortos em todo o mundo. O número de infetados ronda as 164 mil pessoas, com casos registados em pelo menos 141 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 331 casos confirmados. Do total de infetados, mais de 75 mil recuperaram.

O epicentro da pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) deslocou-se da China para a Europa, onde se situa o segundo caso mais grave, o da Itália, que anunciou no domingo 368 novas mortes e que regista 1.809 vítimas fatais.

O número de infetados em Itália, onde foi decretada quarentena em todas as regiões, é de quase 25 mil, praticamente metade dos cerca de 52 mil casos confirmados na Europa, que regista mais de 2.291 mortos.

O Governo declarou na sexta-feira o estado de alerta no país, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão, e suspendeu as atividades letivas presenciais em todas as escolas a partir de segunda-feira, impondo restrições em estabelecimentos comerciais e transportes, entre outras.

Os governos regionais da Madeira e dos Açores decidiram impor um período de quarentena a todos os passageiros que aterrarem nos arquipélagos, enquanto o Governo da República desaconselhou as deslocações às ilhas.

Já tinham sido tomadas outras medidas em Portugal para conter a pandemia, como a suspensão das ligações aéreas com a Itália, o país da Europa mais afetado.

Veja também: