Coronavírus

As medidas adotadas na Europa no combate à Covid-19

FABIO FRUSTACI / EPA

Maioria dos países europeus decretaram medidas de emergência.

Especial Coronavírus

As principais medidas adotadas na Europa para lutar contra a propagação do novo coronavírus incluem confinamento, encerramento de escolas, comércios ou proibição de ajuntamentos.

Eis as principais medidas no combate europeu à covid-19:

Confinamento

Isolamento geral em Itália, Espanha, França, Áustria, Bélgica, Luxemburgo, e a partir de hoje na Grécia. Saídas autorizadas para ir trabalhar, consulta médica e na atividade comercial essencial.

No fim de semana a Itália endureceu as regras, ao encerrar espaços verdes e proibir todas as atividades de produção não essenciais.

O Governo espanhol vai solicitar ao parlamento um prolongamento do isolamento estrito até 11 de abril.

Em França, nos últimos dias foi imposto um recolher obrigatório em diversas cidades.

Na Áustria, as medidas de confinamento, com limitação draconiana das deslocações, estão em vigor até 13 de abril.

Na Alemanha, os Estados da Baviera e do Sarre ordenaram o confinamento.

A Turquia impôs um confinamento total às pessoas com mais de 65 anos ou que sofram de doenças crónicas.

Isolamento aconselhado

O Reino Unido pede às pessoas mais frágeis para não saírem de casa durante pelo menos três meses.

Em Moscovo, os maiores de 65 anos e os doentes devem permanecer em suas casas ou deslocarem-se para a sua casa de campo.

Portugal decretou o estado de emergência até 02 de abril e pede à população para permanecer em casa.

Fronteiras controladas e fechadas

Em 17 de março a União Europeia decidiu encerrar as suas fronteiras externas por 30 dias. Esta medida inclui exceções (cidadãos europeus, residentes de longa data, diplomatas, pessoal do setor da saúde, investigadores, trabalhadores transfronteiriços...) e não abrange os britânicos.

A Espanha e a Hungria encerraram as fronteiras terrestres.

A Turquia encerrou as suas fronteiras com a Grécia e a Bulgária.

A Alemanha efetua controlo de fronteiras com diversos países, incluindo com a França que aplicou as mesmas medidas, mas permite a passagem de mercadorias e trabalhadores transfronteiriços.

A República Checa, Chipre, Dinamarca, Lituânia, Roménia e Eslováquia encerraram as suas fronteiras aos estrangeiros (a Eslováquia aceita polacos, importantes para a sua economia).

A Rússia encerrou as fronteiras terrestres com a Noruega e Polónia.

A Áustria encerrou a sua fronteira terrestre com a Itália e a Suíça.

Em Portugal, as fronteiras terrestres com Espanha fecharam a 17 de março.

Escolas encerradas

Os estabelecimentos de ensino estão encerrados na Itália, Polónia, Grécia, Irlanda, República checa, Roménia, Ucrânia, Eslováquia, Eslovénia, Lituânia, Noruega, Dinamarca, Luxemburgo, Áustria, Bulgária, Turquia, Alemanha, Bélgica, França, Portugal, Suíça, Croácia, Espanha, Suécia, Reino Unido e Rússia.

Ajuntamentos proibidos

Em França, Itália, Bélgica e Chipre estão proibidos todos os ajuntamentos.

Em França, à semelhança de outros países, a regra abrange as festas religiosas de abril (Páscoa judaica e cristã, início do Ramadão).

Diversos países limitam o número limitam o número de participantes em cerimónias, com diversos limites. A Alemanha anunciou no domingo a proibição de reuniões de mais de duas pessoas no espaço público.

Na Turquia foram suspensas as orações coletivas e encerrados os locais de culto.

Comércio encerrados

Na Holanda, Luxemburgo, Ucrânia, Áustria, Bulgária e Eslovénia, os locais abertos ao público foram encerrados.

Os estabelecimentos comerciais não essenciais estão encerrados na Itália, França, Grécia, Andorra, Alemanha, Dinamarca, Portugal e Espanha, que também fechou hotéis e estâncias turísticas.

Restaurantes, bares, discotecas, cinemas, encerraram as suas portas em quase todo o continente europeu.

O Reino Unido ordenou o fecho de bares, restaurantes, cinemas e recintos desportivos.
Na Rússia, estão encerrados os ginásios, piscinas e parques aquáticos.

Transportes afetados

A França reduziu drasticamente os transportes de longo curso e reduziu para metade o tráfego ferroviário.

Transportes públicos reduzidos em Paris, Londres, Cidade do Luxemburgo e Kiev.

As companhias aéreas britânicas têm imobilizada a maioria da sua frota.

Na Áustria, o tráfego aéreo está praticamente inativo e o ferroviário consideravelmente reduzido.

Na Polónia, foi suspenso o tráfego aéreo e ferroviário internacional.

Rússia e Turquia limitaram drasticamente os voos internacionais.

Covid-19 já fez mais de 10 mil mortos na Europa

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 10 mil mortos na Europa, de acordo com um balanço feito pela Agência France Presse (AFP) a partir de dados oficiais atualizados às 18:00.

No total, foram registados 10.058 mortos na Europa, dos quais a maioria em Itália (6.977), o país mais atingido pela pandemia, a que se seguem Espanha (2.182) e França (860).

Com 184.138 infeções registadas oficialmente, a Europa é o continente onde a pandemia está a propagar-se mais depressa.

Os mais recentes números em Portugal

O número de mortes associado à covid-19 subiu para as 23 e os casos de infeção são 2060, mais 460 que no domingo, segundo o boletim epidemiológico da DGS divulgado ao final da manhã.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou na terça-feira o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19