Coronavírus

Curva portuguesa mostra abrandamento de novos casos de Covid-19

Rafael Marchante

Desde 25 de março que há uma redução do aumento percentual diário de novos casos.

Especial Coronavírus

Portugal tem assistido desde o dia 25 de março a um abrandamento do aumento percentual diário de novos casos de covid-19, segundo dados divulgados hoje pelo Barómetro Covid-19 da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP).

Segundo Carla Nunes, investigadora da ENSP, tem-se assistido a uma redução do aumento percentual diário de novos casos entre 7% a 20% (média de 15,7%), bem diferente dos valores das semanas anteriores, cujas percentagens tinham médias de 24,8% e 407%".

Os investigadores do projeto do Barómetro Covid-19, um projeto de investigação que acompanha "passo a passo" a evolução da pandemia em Portugal, apelam, em comunicado, para que haja "cautela na interpretação destes dados", uma vez que "a análise da evolução das curvas espanhola e italiana também tem tido um abrandamento no aumento relativo de casos diários".

Comparativamente à semana anterior, os gráficos do modelo matemático da Escola Nacional de Saúde Pública desta semana do barómetro mostram "uma aproximação a Itália e, em vez de 11, por cada 100 novos casos italianos, Portugal espera agora 14".

"Em relação a Espanha, a curva portuguesa apresenta um ligeiro afastamento: 20 casos novos por cada 100 casos espanhóis, quando na semana anterior eram 22", refere a ENSP.

Além da comparação com países culturalmente e "matematicamente" parecidos com Portugal -- Itália, Espanha e Reino Unido -, a equipa do Barómetro Covid-19 alargou a análise à Coreia do Sul, Singapura e Japão, "países que têm sido identificados como eficazes no controlo da pandemia".

"Esta análise comparativa permite-nos perceber claramente as diferenças entre a evolução das curvas latinas, que são exponenciais, e as curvas orientais, que têm um formato achatado", referem os investigadores.

Em comparação, por cada 100 novos casos no Japão são esperados 4.681 novos casos em Portugal, por cada 100 novos casos na Coreia do Sul, são esperados 467 novos casos e por cada 100 novos casos em Singapura são esperados 5.639 novos casos em Portugal.

O Barómetro Covid-19 está interessado em investigar de que forma é que os comportamentos das curvas são resultado do impacto das medidas tomadas nos diferentes países.

"Nos países orientais analisados, os testes em massa, as ações de isolamento, a quarentena com 'pulso de ferro' e a forte adesão da população a estas medidas parecem ter tido um papel fundamental no achatamento da curva", explica Carla Nunes.

Apesar da semelhança da curva portuguesa com a espanhola e a italiana, os investigadores ressalvam que Portugal tomou várias medidas para o controlo da epidemia mais cedo do que estes países.

"Já não falta muito para percebermos se foi suficientemente cedo para aplanar o pico da nossa curva e mudar a sua forma", refere a investigadora, adiantando que o Barómetro Covid-19 espera poder realizar essa análise no decorrer da próxima semana.

O Barómetro Covid-19 é um projeto de investigação da ENSP da Universidade NOVA de Lisboa que acompanha passo-a-passo a evolução da pandemia da Covid-19 em Portugal.

Sobe para 209 o número de mortos em Portugal, mais de 9 mil casos de Covid-19

Segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, em Portugal registam-se 209 mortes, mais 22 do que na quarta-feira (+11,8%), e 9.034 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 783 em relação à véspera (+9,5%).

Dos infetados, 1.042 estão internados, 240 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 68 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março, tendo a Assembleia da República aprovado hoje o seu prolongamento até ao final do dia 17 de abril.

Quase 48 mil mortos em todo o mundo

A pandemia de Covid-19 matou quase 48 mil pessoas em todo o mundo desde que a doença surgiu em dezembro na China, segundo um balanço da AFP às 11:00, a partir de dados oficiais.

De acordo com a agência de notícias francesa, morreram 47.993 pessoas, foram diagnosticados mais de 944.030 casos de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a doença Covid-19. Foram consideradas curadas pelo menos 182.700 pessoas.

Em Itália, o número de mortos voltou a aumentar em relação ao dia anterior. Nas últimas 24 horas, foram registadas 760 mortes, aumentando o número total de vítimas mortais para 13.915.

Foram ainda registados mais 4.782 novos casos positivos, um aumento de 114 em comparação com quarta-feira.

Depois de Itália, os países mais afetados são Espanha com 10.003 mortes para 110.238 casos, os Estados Unidos com 5.137 mortes, França com 4.032 mortes (56.989 casos) e China continental com 3.318 mortes (81.589 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, registou um total de 81.589 casos (35 novos entre quarta e hoje), incluindo 3.318 mortes (seis novas) e 76.408 curados.

No Reino Unido, o número total de mortes relacionadas com a covid-19 aumentou para 2.921, mais 569 do que na quarta-feira. O balanço diário dos casos regista 33.718 pessoas infetadas entre 163.194 testadas.