Coronavírus

Fábrica Braço de Prata oferece projeção de concertos e jantares em drive-in

A partir de dia 13 de maio.

Especial Coronavírus

A Fábrica Braço de Prata, em Lisboa, oferece a partir de dia 13 um espaço drive-in, com projeção de concertos nos muros do exterior e jantar incluído, que pode ser usufruído dentro do carro.

Esta foi a alternativa que a Fábrica Braço de Prata encontrou para "voltar à ação", terminado o estado de emergência, mas "não a suspensão de hábitos" que animavam aquele espaço, anunciou hoje em comunicado a associação cultural.

"Ainda não se sabe quando voltaremos a abrir as portas aos concertos, quer por ainda não haver indicações objetivas, quer pelo receio que todos sentimos de novos contágios", afirma a Fábrica Braço de Prata, explicando que a alternativa encontrada para continuar a desenvolver a sua atividade foi o espaço exterior.

Assim, a partir do dia 13 de maio, os concertos que a Fábrica Braço de Prata tem vindo a apresentar 'online' passam a ser projetados simultaneamente nos muros do exterior, em versão cinema ao ar livre, "com comida e tudo".

"Na segurança (e intimidade) dos nossos carros podemos, finalmente, sair de casa para um programa de fim de noite com amigos, ou para um jantar e concerto românticos, sem pôr em risco nenhum esforço de distanciamento social. E com aquele aroma de nostalgia que tanto adoramos", lê-se no comunicado daquela organização.

Para assistir a um concerto em 'drive-in' é necessário fazer reserva antecipada, devido ao número de lugares ser limitado, e fazer um consumo mínimo, em 'take away', de cinco euros por pessoa, acrescenta.

Portugal com 1105 mortos e mais de 26 mil infetados

Portugal regista esta quinta-feira 1.105 mortes relacionadas com a covid-19, mais 16 do que na quarta-feira, e 26.715 infetados (mais 533), segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Geral da Saúde.

Em comparação com os dados de quarta-feira, em que se registavam 1.089 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1,5%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus (26.715), os dados da Direção Geral da Saúde (DGS) revelam que há mais 533 casos do que na quarta-feira (26.182), representando uma subida de 2%.

Mais de 263 mil mortos e mais de 3,7 milhões de infetados em todo mundo

A pandemia de covid-19 já matou 263.792 pessoas e infetou mais de 3.766.180 em 195 países desde que surgiu em dezembro na cidade chinesa de Wuhan, segundo um balanço da AFP às 11:00.

Pelo menos 1.179.700 pessoas foram consideradas curadas pelas autoridades de saúde.

Os Estados Unidos, que registaram o primeiro morto ligado ao novo coronavírus no final de fevereiro, lideram em número de óbitos e casos, com 73.431 e 1.228.609, respetivamente. Pelo menos 189.910 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Reino Unido com 30.076 mortes para 201.101 casos, Itália com 29.684 mortes (214.457 casos), Espanha com 26.070 mortes (221.447 casos) e França com 25.809 mortes (174.191 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou 82.885 casos (dois novos entre quarta-feira e hoje), incluindo 4.633 mortes e 77.957 curados.

Desde as 19:00 de quarta-feira, as ilhas Comores anunciaram a primeira morte ligada aos vírus.

Até às 11:00 de hoje, a Europa totalizou 150.249 mortes para 1.641.959 casos, Estados Unidos e Canadá 77.710 mortes (1.291.985 casos), América Latina e Caraíbas 16.425 mortes (302.702 casos), Ásia 9.962 mortes (267.376 casos), Médio Oriente 7.314 mortes (202.367 casos), África 2.007 mortes (51.569 casos) e Oceânia 125 mortes (8.223 casos).