Coronavírus

EUA "açambarcam" Remdesivir. Portugal corre o risco de ficar sem o medicamento?

EUA "açambarcam" Remdesivir. Portugal corre o risco de ficar sem o medicamento?

Compradas 500 mil doses do fármaco para abastecer hospitais norte-americanos.

Especial Coronavírus

Os Estados Unidoscompraram quase toda a reserva mundial de Remdisivir, o primeiro medicamento aprovado para o tratamento da covid-19.

Em comunicado, o departamento de saúde informou que "assegurou mais de 500 mil ciclos de tratamento do medicamento para hospitais americanos até setembro", o que equivale a "100% da produção prevista da Gilead para julho (94.200 ciclos), 90% da produção em agosto (174.900 ciclos) e 90% da produção em setembro (232.800 ciclos), além de uma verba para ensaios clínicos".

Portugal já pediu explicações à farmaceutica norte-americana que produz o fármaco para saber se há o risco de faltar este medicamento nos hospitais portugueses.

Agência Europeia de Medicamentos recomenda antiviral Remdesivir

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) recomendou uma autorização de mercado na União Europeia (UE) para o antiviral Remdesivir para tratamento de doentes com covid-19, que é já utilizado em Portugal.

A recomendação do comité para medicamentos para uso humano da EMA destina-se ao uso de Remdesivir em doentes com covid -19 adultos e jovens com mais de 12 anos e que sofram ainda de pneumonia e necessitem de receber oxigénio.