Coronavírus

Covid-19: Portugal regista nove mortes e 287 casos nas últimas 24 horas

Armando Franca

Dados das últimas 24 horas.

Especial Coronavírus

Portugal regista hoje mais nove óbitos por Covid-19, em relação a segunda-feira, e mais 287 casos de infeção confirmados, dos quais 207 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim epidemiológico diário, o total de óbitos por covid-19 desde o início da pandemia é agora de 1.629 e o total de casos confirmados é de 44.416.

A DGS regista 511 internamentos e 76 nos cuidados intensivos.

Em termos percentuais, o aumento do número de óbitos foi de 0,5%, (passou de 1.620 para 1.629) e o aumento do número de infetados foi de 0,6%, (de 44.129 para 44.416).

Lisboa e Vale do Tejo registou a maioria dos óbitos das últimas 24 horas: seis das nove mortes ocorreram nesta zona do país.

A DGS regista menos dois internamentos nas últimas 24 horas, passando para 511 doentes, mas há mais duas pessoas nos cuidados intensivos e agora são 76.

Lisboa e Vale do Tejo, com um total de 20.929 infetados, permanece como a região onde se regista o maior número de novos casos, com mais 207 nas últimas 24 horas.

Armando Franca

200 casos por incluir

O boletim volta a referir que cerca de 200 casos continuam ainda por incluir no total na Região de Lisboa e Vale do Tejo, referentes a testes realizados por um laboratório privado que em três dias da semana passada não os registou no sistema para o efeito, estando a sua distribuição ainda a ser analisada pelas autoridades de saúde.

Depois de Lisboa e Vale do Tejo surge a Região Norte (17.823 casos), a Região Centro (4.211), o Algarve (com 663 casos, um número que se mantém inalterado em relação a segunda-feira) e o Alentejo (544). Os Açores têm 151 infetados e a Madeira 95 infetados.

Há no país 11 concelhos com mais de 1.000 casos de doentes infetados, uma lista liderada por Lisboa (3.645), Sintra (2.850), Loures (1.910), Amadora (1.780), Vila Nova de Gaia (1.678) e Porto (1.414).

Os números relativos aos concelhos não sofreram alterações em relação a segunda-feira, uma situação explicada no boletim de hoje que indica que ainda não foi feita a atualização, porque a DGS está a verificar "todos os dados com as autoridades locais e regionais de saúde" e espera ter esta tarefa "concluída nos próximos doas".

SIC

Também no boletim de hoje não é apresentado o quadro das idades relativo aos infetados, uma situação que a DGS atribui a erro informático.
Quanto aos óbitos, a região com maior número continua a ser o Norte (821), seguida de Lisboa e Vale do Tejo, que registou um aumento de seis nas últimas 24 horas, passando agora a contabilizar 516 mortes.

A região Centro manteve o valor inalterado (248 óbitos) enquanto no Alentejo se registou mais dois mortos (17). Já o Algarve e Açores continuam com 15 vítimas mortais cada.

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.090), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (314) e entre os 60 e 69 anos (148). Há 53 óbitos entre os 50 e 59 anos, 20 entre os 40 e 49, dois entre os 30 e os 39 e outros dois entre os 20 e os 29 anos.

As autoridades de saúde mantêm sob vigilância 33.134 contactos de pessoas infetadas - mais 1.649 do que na segunda-feira - e há 1.308 pessoas que aguardam resultados laboratoriais.

O número de doentes dados como recuperados também registou um aumento, havendo hoje mais 279 pessoas recuperadas, registando-se agora um total de 29.445 casos nessa situação.

Portugal comprou mais de 600 mil máscaras sem garantia de qualidade

Portugal comprou mais de 600 mil máscaras com garantias de qualidade duvidosas, avança o jornal Público esta terça-feira.

O material, utilizado por profissionais de saúde que estão na linha da frente e comprado por hospitais, Marinha, autarquias e Direção-Geral da Saúde, foi apreendido pela ASAE por não cumprir os requisitos de segurança.

Cientistas voltam a defender que coronavírus se transmite facilmente pelo ar

Um grupo de cientistas de vários países volta a defender que o novo coronavírus se transmite facilmente pelo ar.

Os 239 especialistas, que vão publicar o estudo numa revista científica na próxima semana, enviaram também uma carta à Organização Mundial de Saúde (OMS) onde afirmam que o vírus pode manter-se ativo em gotículas suspensas no ar em espaços fechados, com muitas pessoas e com pouca ventilação.

Os especialistas pedem à organização para rever as recomendações, não só do uso social de máscaras, que acreditam que possa a vir a ser necessário em locais fechados, mesmo com distanciamento social, como o uso de máscaras N95 pelos funcionários de saúde que tratam doentes Covid-19

CHRISTOPHE PETIT TESSON

Multidão de jovens sem máscara ou distanciamento social enche ruas de Albufeira

Na noite passada, foi necessária a intervenção da GNR para dispersar cerca de 2400 jovens holandeses dos bares da Oura, em Albufeira.

Numa fase inicial, as autoridades tentaram uma abordagem pedagógica, mas houve momentos de tensão entre os estudantes e a polícia.

Nas imagens é possível ver uma multidão de jovens sem máscara e sem cumprir o distanciamento social, o que está a causar alguma apreensão às autoridades.

LINKS ÚTEIS

MAPA COM OS CASOS A NÍVEL GLOBAL