Coronavírus

Mais de metade da degradação do saldo orçamental deve-se à pandemia de Covid-19

Rita Rogado

Rita Rogado

Jornalista

David Alves

David Alves

Editor de Imagem

Défice orçamental agravou-se em mais de 6 mil milhões de euros no primeiro semestre do ano.

Especial Coronavírus

O Estado registou um défice orçamental de 6. 776 milhões de euros no primeiro semestre de 2020. É um agravamento de 6.122 milhões de euros, face ao mesmo período do ano passado.

Segundo o Ministério das Finanças, pelo menos 3. 733 milhões de euros da degradação do saldo teve origem na pandemia. Resulta da combinação de uma quebra da receita (2. 423 milhões de euros) e de um crescimento da despesa (1. 310 milhões de euros).

O gabinete de João Leão destaca a redução da receita fiscal em 14%.

O governo prevê um défice anual de 7%. A previsão é baseada no Orçamento Suplementar, uma atualização ao Orçamento do Estado, por causa das despesas extraordinárias da pandemia e a quebra da receita devido ao confinamento.

A Síntese da Execução Orçamental revela que o excedente da Segurança Social caiu 84 % em junho, em relação ao mesmo mês do ano passado.

O Ministério da Segurança Social sublinha que o saldo é uma "consequência das medidas adotadas no contexto da atual situação de pandemia em Portugal".