Coronavírus

Serviço de Pneumologia do Amadora-Sintra não está a aceitar doentes para internamento

Por causa dos 5 casos de covid-19 detetados entre doentes, o hospital decidiu encerrar temporariamente a novos internamentos o Serviço de Pneumologia.

Saiba mais...

O Serviço de Pneumologia do Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) deixou de receber novos doentes para internamento, depois de detetados pelo menos cinco casos de covid-19 entre os utentes internados, revelou fonte da unidade hospitalar.

Questionada pela Lusa, a mesma fonte disse que o Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca (HFF) identificou na passada quinta-feira um doente com covid-19 no Serviço de Pneumologia, "onde se encontrava internado por outra patologia e com teste prévio negativo".

"De acordo com os procedimentos internos, foram retestados todos os doentes do serviço, tendo sido identificados cinco doentes covid-19 positivos, que se encontram clinicamente estáveis", explicou a fonte.

Os mais de cem profissionais do serviço foram testados em menos de 24 horas, segundo o hospital, tendo sido todos negativos.

Por causa dos casos detetados, o hospital decidiu encerrar temporariamente a novos internamentos o Serviço de Pneumologia.

O HFF tem atualmente internados 42 doentes com covid-19 em enfermaria e oito em cuidados intensivos.

Portugal registou no sábado 1.646 novos casos de infetados com covid-19, um número recorde desde o início da pandemia de covid-19, em março.

No total, segundo o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde, Portugal já registou 2.067 mortes e 85.574 casos de infeção.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

  • 20 anos da tragédia de Entre-os-Rios

    País

    A 4 de março de 2001, a Ponte Hintze Ribeiro, que ligava Entre-os-Rios a Castelo de Paiva, caiu e arrastou para o Douro três carros e um autocarro. Não houve sobreviventes, 59 pessoas morreram, 36 corpos nunca foram encontrados. Acompanhe aqui a emissão especial da SIC Notícias.

    Direto

    SIC Notícias

  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes