Coronavírus

Administradores hospitalares garantem que SNS está mais bem preparado para enfrentar a pandemia

ESTELA SILVA/ LUSA

Mas é preciso "não baixar a guarda".

Especial Coronavírus

O Sistema Nacional de Saúde está agora mais bem preparado para enfrentar a covid-19, segundo um estudo divulgado esta quarta-feira pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, que alerta para a necessidade de "não baixar a guarda" no controlo da pandemia.

As opiniões dos executivos da saúde foram recolhidas no âmbito de um inquérito para um trabalho denominado "Aprender com a covid-19", que sublinha também a necessidade de novos reforços orçamentais e de profissionais.

Um relatório elaborado na sequência do estudo refere que houve "uma rápida curva de aprendizagem" com a resposta à pandemia e muitas das mudanças ocorridas e que da experiência adquirida servirão para "consolidar um sistema de saúde mais forte, mais eficiente e coordenado".

Para a Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), a pandemia colocou em dúvida muitas convicções, abriu novas incógnitas sobre como será o "novo normal" nos hospitais e centros de saúde e gerou "expectativas e oportunidades para mudar a maneira de fazer as coisas".

De acordo com os inquiridos, "restam muitos desafios para o futuro", sendo que o principal é "a atenção aos episódios esquecidos ou atrasados" durante a pandemia.

Da mesma forma, refere o relatório, "serão necessários novos reforços orçamentais e também de profissionais, bem como continuar a consolidar e avaliar as experiências significativas de transformação, coordenação e gestão ocorridas durante a pandemia".

Além de descrever a forma como as unidades de saúde se organizaram, no âmbito dos planos de contingência, o estudo dá conta da realidade de "profissionais de saúde exaustos por jornadas de trabalho intermináveis".

Foram realizadas 34 entrevistas por telefone, entre 12 de setembro e 05 de outubro, a presidentes de conselhos de administração de centros hospitalares do Sistema Nacional de Saúde, presidentes de conselhos de administração de hospitais das regiões autónomas, a secretários regionais da Saúde (Açores e Madeira) e a presidentes de conselho de administração das administrações regionais de saúde.

Segundo a APAH, o estudo pretendeu avaliar as reformas realizadas durante a pandemia, antever o futuro e ajudar a estabelecer "um diálogo construtivo" entre gestores, profissionais de saúde e autoridades.

Portugal com 2.371 mortes e 124.432 casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta terça-feira que há mais 28 mortes e 3.299 novos casos de covid-19 em Portugal.

O número de mortes subiu de 2.343 para 2.371, mais 28 do que na segunda-feira - 7 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, 12 no Norte, 4 na região Centro e 5 no Alentejo. Em relação aos novos contágios, 2.076 registaram-se na região Norte, 961 em Lisboa e Vale do Tejo, 201 na região Centro, 30 no Algarve, 12 no Alentejo, 16 na Madeira e 3 nos Açores.

Já o número de infetados subiu de 121.133 para 124.432, mais 3.299 casos.

Há mais 75 pessoas internadas, totalizando 1.747. Nos cuidados intensivos estão 253 doentes, mais 13 em relação a segunda-feira.

"Ações imediatas" para controlo da pandemia. Costa convoca partidos e Conselho de Ministros extraordinário

O primeiro-ministro marcou com os partidos reuniões na sexta-feira e convocou para sábado um Conselho de Ministros extraordinário para definir novas "ações imediatas" para o controlo da pandemia da Covid-19 em Portugal.

Perante a evolução da pandemia em Portugal nas últimas semanas, a ministra da Saúde, Marta Temido, e a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, estão já a ouvir um conjunto de epidemiologistas.

Mais de 1,1 milhões de mortes no mundo

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global