Coronavírus

Novas medidas de combate à pandemia para os concelhos de maior risco

ANTÓNIO COTRIM

Medidas entram em vigor a partir de quarta-feira.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro informou este sábado que o Governo vai impor novas regras de combate à pandemia para os concelhos de maior risco.

As novas medidas serão aplicadas aos concelhos que tenham acumulado 240 casos de covid-19 por cada 100.000 habitantes nos 14 dias anteriores. Os concelhos de maior risco serão identificados a cada 15 dias e são sujeitos a medidas especiais que entram em vigor a partir de dia 4 de novembro.

As novas medidas

  • Dever de recolhimento domiciliário (exceto para ir trabalhar, ir à escola, fazer compras ou exercício físico);
  • Desfasamento de horários de trabalho obrigatório;
  • Encerramento de estabelecimentos comerciais a partir das 22h00;
  • Restaurantes com grupos limitados a 6 pessoas e funcionamento até às 22h30;
  • Eventos e celebrações limitados a 5 pessoas (salvo se do mesmo agregado familiar);
  • Proibidas feiras e mercados de levante;
  • Teletrabalho obrigatório, salvo impedimento do trabalhador.

Para já, são 121 os concelhos abrangidos por estas medidas:

Alcácer do Sal Odivelas
Alcochete Oeiras
Alenquer Oliveira de Azeméis
Alfândega da Fé Oliveira de Frades
Alijó Ovar
Almada Palmela
Amadora Paredes de Coura
Amarante Paredes
Amares Penacova
Arouca Penafiel
Arruda dos Vinhos Peso da Régua
Aveiro Pinhel
Azambuja Ponte de Lima
Baião Porto
Barcelos Póvoa de Varzim
Barreiro Póvoa do Lanhoso
Batalha Redondo
Beja Ribeira da Pena
Belmonte Rio Maior
Benavente Sabrosa
Borba Santa Comba Dão
Braga Santa Maria da Feira
Bragança Santa Marta de Penaguião
Cabeceiras de Basto Santarém
Cadaval Santo Tirso
Caminha São Brás de Alportel
Cartaxo São João da Madeira
Cascais São João da Pesqueira
Castelo Branco Sardoal
Castelo de Paiva Seixal
Celorico de Basto Sesimbra
Chamusca Setúbal
Chaves Sever do Vouga
Cinfães Sines
Constância Sintra
Covilhã Sobral de Monte Agraço
Espinho Tabuaço
Esposende Tondela
Estremoz Trancoso
Fafe Trofa
Figueira da Foz Vale da Cambra
Fornos de Algodres Valença
Fundão Valongo
Gondomar Viana do Alentejo
Guarda Viana do Castelo
Guimarães Vila do Conde
Idanha-a-Nova Vila Flor
Lisboa Vila Franca de Xira
Loures Vila Nova de Cerveira
Macedo de Cavaleiros Vila Nova de Famalicão
Mafra Vila Nova de Gaia
Maia Vila Pouca de Aguiar
Marco de Canaveses Vila Real
Matosinhos Vila Velha de Ródão
Mesão Frio Vila Verde
Mogadouro Vila Viçosa
Moimenta da Beira Vizela
Moita
Mondim de Basto
Montijo
Murça

Governo quer impor o estado de emergência

António Costa informou ainda que já solicitou uma audiência ao Presidente da República para transmitir a posição do Conselho de Ministros sobre uma eventual declaração do estado de emergência nestas zonas do país.

Perante o agravamento da situação a nível nacional, o primeiro-ministro volta a pedir aos portugueses empenho no cumprimento das medidas de restrição e relembra cinco recomendações essenciais: distanciamento, uso de máscara, etiqueta respiratória, desinfeção das mãos e a utilização da aplicação Stayaway Covid.

Costa avisa que novembro vai ser "muito duro e muito exigente"

O primeiro-ministro avisou também que "convém não criar falsas expectativas" porque novembro vai ser "muito duro e muito exigente", sendo maior a probabilidade de, daqui a 15 dias, acrescentar mais concelhos à lista com novas restrições.

Costa fez um apelo ao cumprimento por parte dos portugueses: "entrarão tantos menos e sairão tantos mais quanto mais cada um de nós for eficaz no seu próprio concelho a conter a transmissão desta pandemia".

Governo anuncia contratação de enfermeiros reformados

O Governo anunciou ainda este sábado a contratação de enfermeiros reformados para rastreios de contactos da covid-19. A contratação destes enfermeiros será feita de forma idêntica aos médicos reformados.

Cuidados Intensivos reforçados com mais 202 camas e 350 enfermeiros

Os cuidados intensivos vão ser reforçadas com mais 202 camas e vão ser contratados mais 350 enfermeiros para estas unidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS). O primeiro-ministro avançou que as Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) vão ser reforçadas agora com 52 camas, 50 até ao final de dezembro e as restantes 100 no primeiro trimestre de 2021.

Covid-19. Portugal com mais 39 mortes, 4.007 infetados e novo máximo em cuidados intensivos

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário deste sábado que há mais 39 mortes e 4.007 novos casos de Covid-19 em Portugal.

O país regista também um novo máximo de pessoas internadas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) desde o início da pandemia de Covid-19, com 286 pessoas hospitalizadas, segundo a DGS.

O valor máximo de internamentos em cuidados intensivos foi registado na sexta-feira, 30 de outubro, dia em que 275 pessoas estavam nestas unidades hospitalares com Covid-19.

Continuam ativos 58.492 casos, mais 1.137, e 2.831 pessoas recuperaram da doença em relação a sexta-feira.

No caso dos internamentos, o número de pessoas hospitalizadas continua a subir desde há mais de uma semana, sendo agora de 1.972 pessoas, mais 45 do que na sexta-feira, das quais 286 (mais 11) estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

Veja também:

A apresentação do Governo na íntegra:

  • 15,618

    Opinião

    É este o número oficial de árbitros e juízes federados que existem em Portugal, de acordo com a última informação disponível (de 2018).

    Duarte Gomes