Coronavírus

Covid-19. "Este é o último passo antes de termos de fazer um confinamento mais musculado"

Tiago Correia, professor de Saúde Pública Internacional, avisa que "as próximas semanas não vão ser fáceis" e que "o Natal vai ser diferente".

Especial Coronavírus

Tiago Correia considera que o Governo e as autoridades de saúde têm de ser realistas com a população, dizendo que "as próximas semanas não vão ser fáceis" e "o Natal vai ser diferente".

Sobre os números de covid-19 desta quarta-feira, o professor de Saúde Pública Internacional reconhece que as notícias não são boas e que "estamos numa fase muito difícil", sendo que o objetivo agora é conter o ritmo de transmissão.

Em entrevista na Edição da Tarde, da SIC Notícias, diz que esta é uma fase em que não se pode facilitar.

"A culpa não é das pessoas, mas nesta fase não temos outra solução se não pedir que adiram às medidas"

Quanto às medidas do estado de emergência, Tiago Correia defende que estas têm como objetivo transmitir uma mensagem à população: acabar com os convívios entre pessoas que não são do mesmo agregado familiar.

"Este é o último passo antes de termos de fazer um confinamento mais musculado", diz, reconhecendo que esse confinamento "ainda vai ser mais doloroso" do que as medidas agora impostas com o estado de emergência.

Tiago Correia fala ainda sobre a comunicação entre autoridades e população, o alinhamento entre os comportamentos sociais e as políticas e sobre a vacina.

Portugal com mais 82 mortes e 4935 novos casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta quarta-feira que há mais 82 mortes e 4935 novos casos de Covid-19 em Portugal. No total, o país regista 3103 vítimas mortais e 192.172 infetados pelo novo coronavírus, desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas estão mais 9 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 391. Em relação aos internamentos em enfermaria estão 2785 pessoas internadas, mais 43 do que na terça-feira. Em ambos os casos, tratam-se de novos máximos desde o início da pandemia.

A DGS revela que estão ativos 78.716 casos de infeção, mais 1378 do que na terça-feira. Também nas últimas 24 horas foram dados como recuperadas 3475 pessoas, num total de 110.353 desde o início da pandemia.

  • 1:44