Coronavírus

Portugal com mais 82 mortes e 4935 novos casos de Covid-19

Armando Franca

Um novo máximo de mortes diárias e de internamentos.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta quarta-feira que há mais 82 mortes e 4935 novos casos de Covid-19 em Portugal. No total, o país regista 3103 vítimas mortais e 192.172 infetados pelo novo coronavírus, desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas estão mais 9 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 391. Em relação aos internamentos em enfermaria estão 2785 pessoas internadas, mais 43 do que na terça-feira. Em ambos os casos, tratam-se de novos máximos desde o início da pandemia.

A DGS revela que estão ativos 78.716 casos de infeção, mais 1378 do que na terça-feira. Também nas últimas 24 horas foram dados como recuperadas 3475 pessoas, num total de 110.353 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 89.107 pessoas, menos 956 nas últimas 24 horas.

No que diz respeito aos 4935 novos casos, 2845 registam-se na região Norte, 1185 em Lisboa e Vale do Tejo, 743 na região Centro, 44 no Alentejo, 80 no Algarve, 21 nos Açores e 17 na Madeira.

Das 82 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, o pior registo diário desde o início da pandemia, 44 ocorreram na região Norte, 19 em Lisboa e Vale do Tejo, 17 na região Centro e 2 no Alentejo.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 105.147 mulheres e 87.025 homens, de acordo com os casos declarados.

Do total de vítimas mortais, 1.590 eram homens e 1.513 mulheres, quase todos com idade acima dos 80 anos.

Pico de infecciosidade "já poderá ter passado" no Norte do país

O número de casos diários de infeção pelo novo coronavírus na região Norte está a "abrandar", afirmou esta quarta-feira um especialista da Universidade do Porto, alertando, contudo, que a incidência "ultrapassa quatro vezes" o limite estipulado por 100 mil habitantes.

Em declarações à agência Lusa, Óscar Felgueiras, matemático especialista em epidemiologia da Universidade do Porto, explicou esta quarta-feira que os modelos matemáticos apontam para uma "estabilização na ordem dos 3.000 casos diários para a região Norte" nesta e na próxima semana.

O silêncio da noite portuense quando há recolher obrigatório

Veja também: