Coronavírus

"Se nada mudar, caminhamos para um novo confinamento nas primeiras semanas de dezembro" 

A análise de Bernardo Ferrão às medidas anunciadas pelo primeiro-ministro.

Especial Coronavírus

Bernardo Ferrão começou por dizer que o primeiro-ministro, António Costa, esteve bem em pedir desculpa pelos equívocos na comunicação do Governo sobre as medidas de combate à pandemia de covid-19.

"Embora tardio, o primeiro-ministro também esteve bem na questão dos supermercados Pingo Doce. Tratava-se de uma medida muito contestada e que não fazia muito sentido", refere.

Bernardo Ferrão diz que a mensagem emitida esta quinta-feira pelo primeiro-ministro vem de "um governo bastante desgastado" e surge numa altura em que as pessoas "estão muito divididas, têm muitas dúvidas sobre aquilo que está a acontecer e já não acatam tão bem muitas das decisões do Governo".

"A lista de concelhos de risco mostra como a situação está a ficar de facto complicada"

O Governo retirou sete concelhos do mapa de risco e acrescentou 77. Ao todo, há agora 191 concelhos considerados de risco elevado.

Bernardo Ferrão considera que a lista reflete bem a gravidade da evolução da pandemia em Portugal e diz que, se as medidas anunciadas por António Costa não resultarem, o país caminha "a passos largos para um novo confinamento nas primeiras semanas de dezembro", que coincidem com dois feriados, 1 e 8 de dezembro.

  • 0:43