Coronavírus

António Costa: “A vacina é o princípio do fim da crise pandémica”

Diz, no entanto, que vai ser um desafio muito exigente.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro reconhece que a existência e disponibilização da vacina contra a Covid-19 é um desafio muito exigente, desde logo do ponto de vista logístico.

António Costa está, no entanto, otimista e citou até Winston Churchill para dizer que a vacina representa o "fim do princípio da crise pandémica"

Portugal já nomeou a comissão de vacinação

Ao contrário de outros países como a Alemanha e Reino Unido, que contam começar a vacinar contra o novo coronavírus já no mês que vem, Portugal só agora nomeou a comissão que vai desenhar o plano de vacinação.

A ministra da Saúde admitiu este fim de semana que, em janeiro, os primeiros portugueses podem começar a receber a vacina, mas não garantiu que o possa fazer.

As farmacêuticas têm vindo a alertar para as dificuldades logísticas de armazenamento e transporte das vacinas. Em Portugal, a logística será coordenada por Henrique Gouveia e Melo, adjunto para o Planeamento e Coordenação do Estado-Maior-General das Forças Armadas, que também integra a comissão.

Doses da vacina que Portugal vai comprar darão para oito milhões de pessoas

Portugal deverá receber 16 milhões de doses das primeiras três vacinas negociadas pela União Europeia, que deverão chegar em Janeiro. A definição dos critérios de vacinação está a ser afinada pela Direção-Geral de Saúde.

Com este stock vai ser possível vacinar perto de 8 milhões de pessoas, já que a maior parte das vacinas implica duas tomas. O Governo já garantiu que tudo vai decorrer de forma segura.

Veja também: