Coronavírus

OMS alerta para 3.ª vaga de covid-19 na Europa e pede uso de máscaras no Natal

Uma mulher passa por uma montra onde está um boneco de Pai Natal com uma máscara de proteção contra a covid-19.

Pascal Rossignol

"A transmissão da covid-19 continua ampla e intensamente".

Saiba mais...

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou para o risco de uma terceira vaga da pandemia da covid-19 na Europa em 2021, recomendando o uso de máscaras durante reuniões familiares no Natal.

"Os encontros devem ser em espaços exteriores, se possível, e os participantes devem usar máscaras e manter a distância física. Em espaços interiores, deve limitar-se o tamanho dos grupos e assegurar boa ventilação para reduzir o risco de exposição [ao novo coronavírus], recomendou o departamento europeu da agência das Nações Unidas em comunicado.

Alerta ainda que "apesar de um progresso frágil" na contenção de novas infeções, "a transmissão da covid-19 continua ampla e intensamente e há um grande risco de uma nova vaga nas primeiras semanas e meses de 2021".

A OMS Europa admite que "usar máscara e manter distância física com amigos e família pode ser incómodo, mas contribui de forma significativa para que todos estejam seguros e saudáveis" e recomenda que se evitem as aglomerações de pessoas nas viagens para reuniões familiares.

Recomenda ainda que se pondere a redução ou adiamento de cerimónias religiosas ou mercados de Natal, defendendo que se realizem ao ar livre sempre que possível, que sejam mais pequenas ou curtas e se garanta distância física, ventilação, higiene das mãos e uso de máscaras, independentemente da situação epidémica da zona em que se realizem.

Pede também que se assuma responsabilidade individual e recomenda que não se subestime a importância das decisões que cada pessoa toma na evolução da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Na zona europeia da OMS, que inclui 53 países, verificaram-se mais de 22 milhões de casos e quase meio milhão de mortes com covid-19 desde o começo da pandemia.

Mais de 1,6 milhões de mortos e 72,7 milhões de casos no mundo

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.621.397 mortos resultantes de mais de 72,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países que registaram o maior número de novas mortes são os Estados Unidos, o Brasil e o México

A Índia, o México, e o Reino Unido são os países mais atingidos pela pandemia.

Portugal com 5.733 mortes e 353.576 casos de covid-19

Portugal contabilizou esta terça-feira mais 84 mortes relacionadas com a covid-19 e 2.638 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 5.733 mortes e 353.576 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 67.805, menos 3.207 casos em relação a segunda-feira.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3.206 pessoas, menos 48 do que no dia anterior, das quais 506 em cuidados intensivos, menos sete.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

  • 3:26