Coronavírus

“Cada vez mais os doentes críticos estão numa faixa etária mais jovem, entre 40 e 50 anos”

António Pais Martins, coordenador das Unidades de Cuidados Intensivos Cirúrgicos do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, em entrevista à SIC Notícias.

Especial Coronavírus

A Ordem dos Médicos garante que a situação nos hospitais é preocupante e a ministra da Saúde já admitiu avançar com uma requisição civil, perante o aumento de internamentos nos hospitais.

Em entrevista à SIC Notícias, António Pais Martins explica que as urgências têm recebido uma “avalanche” de doentes covid-19 e que, para responder ao aumento do número de internados, tem sido feito um constante alargamento das unidades e do número de camas disponíveis, de forma a tratar “da maneira possível, não da ideal” os doentes.

Sobre a possibilidade de rutura, o coordenador das Unidades de Cuidados Intensivos Cirúrgicos do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental explica que têm sido feitos todos os possíveis para evitar situação como as que aconteceram na primeira vaga noutros países, em que foi necessário escolher que doentes tratar.

Ainda assim, revela que há “um número de casos substancial” em que foi discutida a admissão ao nível de cuidados intensivos e que esse processo de triagem está a ser feito “com muito cuidado”.

Acrescenta ainda que os doentes críticos são cada vez mais de faixas etárias mais jovens, entre os 40 e os 50 anos e termina com um alerta: “Esta doença é grave. Quando em formas muito graves, mata”.