Coronavírus

Novo confinamento. O que se mantém aberto?

Saiba quais os serviços que, a partir de sexta-feira, fazem parte das exceções ao confinamento.

Especial Coronavírus

As novas regras entram em vigor esta sexta-feira. Apesar do dever de recolhimento há serviços que vão continuar a funcionar e há exceções pelas quais pode sair da casa.

A grande novidade, face ao confinamento anterior, são as escolas que vão continuar a funcionar sem restrições. A medida aplica-se desde a creche à universidade, incluindo também ATLS e centros de explicação.

Também missas e funerais vão poder ser realizados, mas com regras. No entanto, a Conferência Episcopal Portuguesa defende que os batismos, crismas e casamentos devem ser suspensos durante o confinamento.

As visitas aos lares vão ser possível, bem como a hospitais. Cada instituição vai poder aplicar as regras de segurança necessárias.

As mercearias, supermercados e hipermercados vão estar abertos e sem limitação de horários. No setor de bens alimentares estão também incluídos talhos, frutarias, peixarias e padarias. Feiras e mercados podem também realizar-se, mas só para venda de comida e mediante autorização da autarquia.

A saúde vai continuar a funcionar, desde as clínicas médicas aos dentistas, veterinários e farmácias. Os serviços de apoio social e voluntário também.

Todos os serviços públicos vão estar operacionais - como tribunais e repartições das finanças - mas só por marcação. O Governo anunciou que vai reforçar o atendimento por telefone e internet.

Poderá também ir a papelarias e tabacarias, correios, bancos, seguros, notários, escolas de condução, centros de inspeção e é ainda possível alugar carros ou ir à oficina. Se tiverem clientes, os hotéis e alojamentos locais têm ordem para abrir.

Consulte aqui as novas medidas do estado de emergência