Coronavírus

Terceira vaga nos hospitais da Grande Lisboa está a ser “angustiante”

Os planos de contingência estão a ser alterados à medida das necessidades.

Saiba mais...

Os Hospitais da Grande Lisboa estão a travar uma luta desigual. A terceira vaga da pandemia está a levar as unidades de saúde ao limite das capacidades humanas e materiais.

Os problemas surgem em catadupa e a capacidade de se reinventarem está a esgotar-se. O presidente do conselho de administração do Beatriz Ângelo, por exemplo, considera a situação angustiante.

O hospital de Loures tem esta quinta-feira um total de 222 infetados: 200 nas enfermarias e 22 na unidade de cuidados continuados.

Apesar de, em termos quantitativos, a afluência às urgências deste hospital ser menor, comparada com a de iguais períodos de outros anos, a gravidade dos casos e o tempo de internamento são maiores.

O Hospital Amadora Sintra regista esta quinta-feira o maior número de casos: tem um total de 279 infetados, 251 em enfermaria e 28 nos cuidados intensivos. Mesmo abrindo novas camas todos os dias, há 24 horas foi obrigado a transferir 16 doentes covid-19 para várias unidades de saúde de pontos diversos do país.

No centro Hospitalar de Lisboa Norte, que junta os Hospitais de Santa Maria e S. José, há nesta quinta-feira 251 infetados, 54 nos cuidados intensivos.

Face à pressão sentida nas urgências covid-19, este centro Hospitalar também tem vindo a aumentar a capacidade de admissão de doentes. Conta agora com mais 262 camas de enfermaria e cuidados intensivos.

O Centro Hospitalar de Lisboa Central que agrega os Hospitais de S. José, Capuchos, S. Marta e D. Estefânia, tem agora um total de 267 doentes com o novo coronavírus: 220 em enfermaria e 47 nos cuidados intensivos.

O Hospital de Cascais tem apenas uma cama vaga em enfermaria para doentes covid, já que estão ocupadas 92. Nos cuidados intensivos as 16 disponibilizadas para a pandemia também se esgotaram.

Entretanto, o pólo de Lisboa do Hospital das Forças Armadas reforçou nos últimos dias a capacidade para doentes covid com mais 130 camas em enfermaria e 10 nos cuidados intensivos.

  • O exemplo inglês 

    Opinião

    Na década de oitenta, as tragédias de Heysel Park primeiro e de Hillsborough depois, atiraram a credibilidade do futebol inglês para a sarjeta.

    Duarte Gomes