Coronavírus

Covid-19. Hospitais da Grande Lisboa em esforço para conseguir atender todos os paciente

O Centro Hospitalar de Lisboa Norte é o que tem mais infetados.

Saiba mais...

Os hospitais da Grande Lisboa continuam a operar em esforço para conseguir atender todos os pacientes que acorrem às urgências. O Centro Hospitalar de Lisboa Norte – que junta os hospitais Santa Maria e Pulido Valente – é, nesta altura, o que tem o maior número de infetados na região.

Estão internados 333 doentes com covid-19, 54 nos cuidados intensivos. O centro hospitalar tem capacidade para perto de mil pacientes, estando cerca de 35% das camas alocadas a pacientes infetados pelo novo coronavírus. Nos cuidados intensivos vão ser abertas mais quatro camas.

Cerca de um terço da capacidade do Santa Maria e do Pulido Valente está bloqueado para atender doentes de outras especialidades.

O hospital Amadora-Sintra, que há dias teve de transferir doentes para outras unidades hospitalares, disponibilizou, durante o fim de semana, 10 camas de internamento aos hospitais da região. Tem, nesta altura 11 enfermarias abertas com 330 camas para covid-19. O pior cenário do plano de contingência previa apenas 120 camas.

Esta segunda-feira, estavam internados 333 pacientes infetados, 36 na unidade de cuidados continuados. O que representa 45% do total da disponibilidade do hospital, que serve o segundo maior concelho do país. Estão previstas abrir mais seis camas nos cuidados intensivos.

No Centro Hospitalar Lisboa Central – que agrega os hospitais São José, Curry Cabral, Santa Marta, Capuchos e Dona Estefânia – a taxa de esforço para covid-19 é de 42%. Estão internados 325 pacientes, dos quais 57 nos cuidados intensivos.

A realocação de profissionais doutros serviços, por via da suspensão de atividades não prioritárias, tem contribuído para o atendimento de doentes covid-19 e não-covid-19.

No hospital de Cascais, a taxa de ocupação da unidade de cuidados intensivos é de 90% e em enfermaria chega aos 70%, face ao total de camas disponíveis. Em Loures, o hospital Beatriz Ângelo regista 290 pacientes covid-19, dos quais 26 estão em cuidados intensivos.

Já no hospital Garcia de Orta, em Almada, a lotação afeta à covid-19 tem sido constantemente reajustada. Para responder ao elevado número de ambulâncias que chega ao serviço de urgências, no domingo foi aberta uma tenda no exterior para ajudar na pré-triagem dos doentes.

  • 2:55