Coronavírus

Covid-19. Maioria dos internados em cuidados intensivos no Brasil tem menos de 40 anos

Situação que se vive nos hospitais é caótica.

Saiba mais...

O Rio de Janeiro avançou para um levantamento parcial das restrições, apesar do aumento do número de mortes e da situação caótica nos hospitais, com muitas unidades de cuidados intensivos no limite. Na Índia, a situação também se agravou. Há cinco meses que o número de mortos não era tão elevado no país.

No Brasil, pela primeira vez desde o início da pandemia, nas unidades de cuidados intensivos a maioria dos internados tem menos de 40 anos. Houve um salto expressivo no número de pacientes que necessitam de ventilação e um agravamento do quadro geral dos doentes em relação ao último mês.

O Brasil regista mais de um quarto do total global de mortes por covid-19. Esta semana ultrapassou por duas vezes as quatro mil vítimas mortais em 24 horas. No Rio de Janeiro, a maior parte das unidades de cuidados intensivos está prestes a atingir a capacidade máxima.

Apesar da situação, que o próprio Presidente já assumiu ser muito complicada, o Rio de Janeiro avançou para um levantamento parcial das restrições depois de duas semanas de confinamento.

A lidar com os efeitos económicos da pandemia, quase 118 milhões de brasileiros estão em situação de carência alimentar. As ajudas do Governo aos mais necessitados, que chegaram a estar suspensas, caíram dos 90 para os 22 euros.

Na Índia, a situação agrava-se. O país registou este sábado o número mais elevado de casos desde o início da pandemia: mais de 145 mil e quase 800 vítimas mortais em 24 horas. Há cinco meses que o número de mortos não era tão elevado no país.

  • Investir agora na infância para poupar no futuro

    Desafios da Mente

    Assegurar o desenvolvimento saudável de todas as crianças é essencial para as sociedades que procuram alcançar o seu pleno potencial sanitário, social e económico. A prevenção da adversidade precoce deve ser uma preocupação diária e não apenas assunto no mês de abril, mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância. Os Governos, as famílias, as comunidades e as organizações devem ser envolvidas a fim de alcançar estes objetivos.