Coronavírus

"Não há nenhum medicamento que não tenha efeitos adversos"

Entrevista SIC Notícias

Raquel Duarte, pneumologista e professora da Faculdade de Medicina Universidade Porto, em entrevista na SIC Notícias.

Saiba mais...

Raquel Duarte, pneumologista e professora da Faculdade de Medicina Universidade Porto, salienta que os fenómenos tromboembólicos podem acontecer sem as pessoas tomarem medicação e diz que há diversos fatores de risco, como o anticontracetivo oral, fumar, viagens de longa distância de avião, o sedentarismo e uma doença crónica.

No Jornal das 7 da SIC Notícias, a especialista salientou que "não há nenhum medicamento que não tenha efeitos adversos". O que é importante é perceber se os efeitos adversos são conhecidos e raros, explicou.

"Basta ler a bula de qualquer medicamento que tome, vai ver uma série de efeitos adversos", disse.

A pneumologista considera que é importante perceber a relação de causalidade entre as vacinas contra a covid-19 e esses fenómenos. No entanto, realça que a ocorrência é "raríssima".

Sobre os números da covid-19, considera que são um "sinal de alerta" porque estamos "claramente num patamar crescente".

Questionada sobre a nova fase de desconfinamento Raquel Duarte considera que é arriscada porque ainda não há uma "noção real", uma "fotografia nítida", dos efeitos da Páscoa e da redução das medidas restritivas.

"Cada passo tem de ser seguro. Não podemos correr o risco de andar para trás", afirma.

Sobre a vacinação contra a covid-19, considera que está a "correr bem", porque "não há vacinas paradas", mas lembra que o processo está limitado pela chegada das vacinas.

Veja também: