Coronavírus

"Medo é mais contagioso que o vírus", avisa investigador

Entrevista SIC Notícias

Miguel Castanho, investigador do Instituto de Medicina Molecular, em entrevista na Edição da Tarde da SIC Notícias.

Saiba mais...

Miguel Castanho, investigador do Instituto de Medicina Molecular, considera que a prioridade tem de ser "proteger" os planos de vacinação contra a covid-19. Para isso, aponta a possibilidade de se suspender algumas vacinas e substituí-las por outras, ainda que "não seja um processo fácil" a curto prazo.

"É importante ganhar a corrida contra o vírus", afirma, lembrando que o coronavírus vai mudando com o tempo e criando novas variantes.

"Medo é mais contagioso que o vírus"

Na Edição da Tarde, defendeu que as vacinas são seguras do ponto de vista técnico. No entanto, lembrou que, neste momento, lidamos com um problema de ansiedade e medo da população, deviado aos casos de coágulos depois de administradas vacinas contra a covid-19.

O investigador considera que são sentimentos "obviamente legítimos", uma vez que as pessoas colocam-se no papel das vítimas.

"O medo é mais contagioso que o vírus, isso não há dúvida nenhuma", diz.


Vacina da Janssen


Sobre a vacina da Janssen, Miguel Castanho diz esperar que os Estados Unidos não provem que há uma relação causa-efeito entre a vacina e os coágulos.

"Esta vacina, sendo de toma única, permite acelerar o plano de vacinação", explica.


Passo atrás no desconfinamento. Onde e porquê?


Questionado sobre o próximo passo no desconfinamento, previsto para a próxima segunda-feira, o responsável considera que é necessário "encarar de frente" a necessidade de atuar de forma diferente, consoante a situação em cada local.

"Não creio que deva haver decisão que englobe todo o país", afirma, explicando que o risco varia consoante "o que se passa" naquela região.

"É preciso ter coragem de não avançar ou regredir onde a situação for crítica", refere.