Coronavírus

João Cotrim de Figueiredo voltaria a organizar arraial onde as regras foram "substancialmente" cumpridas

Entrevista SIC Notícias

Líder da Iniciativa Liberal reage às críticas ao arraial organizado em Lisboa para festejar Santos Populares.

Saiba mais...

Questionado sobre se voltaria a realizar um arraial de Santos Populares depois das críticas de vários políticos e autoridades de saúde, João Cotrim de Figueiredo respondeu de forma peremptória: "Voltaria sim".

Numa entrevista na SIC Notícias, o líder da Iniciativa Liberal admitiu que as regras foram "substancialmente cumpridas" e que o exemplo que o partido pretende dar é o de "coragem e vontade de voltar à vida" e não um exemplo de "obediências cegas".

Critica ainda a Direção-Geral da Saúde por só ter enviado o e-mail com recomendações menos de 21 horas antes do evento, o que terá tornado logisticamente difícil o cumprimento de todas as normas como, por exemplo, servir as sardinhas em caixas.

Mas as críticas estendem-se também ao Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, que considera que não procurou soluções para fazer cumprir a tradição nos bairros de Lisboa e que, por isso, "é um Presidente que não merece lá continuar".

Passadas 48 horas do evento, ainda não é possível perceber se o ajuntamento terá desencadeado algum surto de covid-19. Se tal acontecer, João Cotrim de Figueiredo diz que "cá estará" para se defender.

A Iniciativa Liberal foi um dos partidos mais críticos à realização do Avante durante a pandemia. Muitos têm comparado a postura do PCP na altura com a da IL esta semana. No entanto, o líder da IL defende-se e diz que, à altura, nenhum português tinha sido vacinado e que o partido não realizou o evento para colher qualquer tipo de lucro.

"Queremos dar um sinal político de que é possível fazer melhor, é possível voltar à vida social e económica", apontou, fazendo referência aos "relatos dramáticos" de empresários que lhe chegam todos os dias.

A realização do evento só foi possível porque foi considerado uma ação de um partido político. O líder da IL diz que "custou um pouco" fazer uso desse "privilégio" para conseguirem realizar o evento.

"Não foi uma irresponsabilidade e não há falta de coerência. Críticas de todo o lado são muitas vezes uma medalha", respondeu.