Coronavírus

Entradas e saídas da Área Metropolitana de Lisboa voltam a ser proibidas no fim de semana

Elemento da Guarda Nacional Republicana (GNR) aborda um condutor durante a operação de fiscalização no âmbito das novas medidas codid-19 para a Área Metropolitana de Lisboa (AML), nas portagens de Alverca.

RODRIGO ANTUNES

Quem tenha um certificado digital ou um teste negativo à covid-19 pode circular.

Saiba mais...

A proibição de circulação para dentro ou para fora da Área Metropolitana de Lisboa (AML) mantém-se no próximo fim de semana, mas quem tenha um certificado digital ou um teste negativo à covid-19 pode passar, anunciou esta quinta-feira o Governo.

Na conferência que se seguiu ao Conselho de Ministros, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou que se mantém para a AML a proibição de entrada e saída, entre as 15:00 de sexta-feira e as 06:00 de segunda-feira, salvo as exceções previstas na lei.

No entanto, de acordo com a ministra, poderão entrar e sair da Área Metropolitana as pessoas que tenham um certificado digital ou teste negativo à covid-19.

A ministra da Presidência diz também que não há data prevista para o fim desta restrição.

Mariana Vieira da Silva salientou que o Governo aprovou também um decreto-lei que executa e regulamenta o certificado covid-19 da União Europeia, um documento que tem informações sobre vacinação e sobre resultados de testes, entre outras, correspondentes ao titular, emitido pelas autoridades de saúde, e que entrará em vigor no nosso país em 1 de julho.

Casos mais complicados

A ministra afirmou ainda que as zonas de Lisboa, Alentejo e Algarve são as que estão em estado mais agravado de incidência da covid-19.

Segundo Mariana Vieira da Silva, os concelhos de Lisboa, Albufeira vão acompanhar Sesimbra e recuam no desconfinamento, implicando o encerramento, aos fim de semana, da restauração e similares e do comércio a retalho não alimentar às 15:30 e dos supermercados e retalho alimentar às 19:00.

Na próxima semana, se se mantiverem os dados atuais, há mais 16 concelhos que correm o risco de acompanhar Lisboa, Albufeira e Sesimbra neste recuo.