Crise Migratória na Europa

Marrocos volta a fechar a fronteira com Ceuta depois de terem entrado oito mil migrantes

Imagens divulgadas mostram inação da polícia de Marrocos.

Marrocos voltou a fechar a fronteira com Ceuta, depois de terem entrado oito mil migrantes numa altura de tensão diplomática entre Espanha e Marrocos.

Este vídeo mostra a polícia marroquina a abrir a fronteira a dezenas de imigrantes. As imagens foram partilhadas por um sindicato da polícia espanhola, que denuncia a falta de cooperação.

A passividade das autoridades marroquinas é vista como represália, depois de Espanha ter permitido o internamento do líder da Frente Polisário - um movimento independentista do Sahara ocidental. Brahim Gali tem 73 anos e está infetado com coronavírus. Espanha alega razões humanitárias e quanto à entrada de imigrantes promete firmeza máxima.

ONDA MIGRATÓRIA SEM PRECEDENTES

Desde a manhã de segunda-feira, quase 8.000 migrantes entraram no enclave espanhol de Ceuta a nado ou a pé, uma onda migratória sem precedentes.

Ao mesmo tempo, na madrugada de segunda para terça-feira, 86 migrantes, de um total de mais de 300, entraram no enclave de Melilha, localizado 400 quilómetros a leste.

Cerca de 4.000 migrantes foram devolvidos a Marrocos, tendo o Ministério do Interior espanhol anunciado o envio de reforços da polícia local para fazer frente ao fluxo maciço e repentino de milhares de migrantes no enclave espanhol.

Ceuta e Melilla, as únicas fronteiras terrestres da União Europeia com África, são regularmente palco de tentativas de entrada de migrantes, mas a maré humana de segunda-feira não tem precedentes.

Veja também:

  • 2:07