Eleições nos EUA

Comissários europeus expressam alegria com a eleição de Joe Biden

KEVIN LAMARQUE

Elisa Ferreira espera que o novo Presidente norte-americano reconstrua relação entre Washington e Bruxelas.

A comissária europeia portuguesa, Elisa Ferreira, reagiu ao anúncio da vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais norte-americanas afirmando "sentir-se bem" e disse esperar que o democrata reconstrua as relações de Washington e Bruxelas.

"A divisão social nos Estados Unidos é preocupante e as coisas não voltarão ao que eram. Temos de continuar a reforçar a UE e a reconstruir as relações da UE e dos Estados Unidos com base em valores e em realidades do século XXI", escreveu a responsável pela pasta da Coesão e Reformas numa publicação na rede social Twitter.

Reagindo ao anúncio que dá a vitória a Joe Biden, Elisa Ferreira sublinhou que "o inquilino na Casa Branca não é indiferente" para as relações transatlânticas.

"É por isso que me sinto como Nina Simone", notou a responsável portuguesa, numa alusão à canção "Feeling good".

"É um novo amanhecer, é um novo dia, é uma nova vida para mim e eu estou a sentir-me bem", refere o excerto da canção partilhado pela comissária europeia.

Também através do Twitter, o comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, falou numa "dia inesquecível para a Europa e a democracia".

"Estou a abraçar-me a mim próprio", indicou.

Já o comissário europeu do Emprego, o luxemburguês Nicolas Schmit, disse através do Twitter que a eleição de Joe Biden é "um alívio, uma alegria e dá grandes esperanças para uma parceria transatlântica baseada em valores e na ideia de justiça social".

O candidato democrata Joe Biden foi hoje anunciado como vencedor das eleições presidenciais de 3 de novembro segundo projeções da 'media' norte-americana.

Segundo essas projeções, Biden totaliza 284 "Grandes Eleitores" do Colégio Eleitoral, derrotando o candidato republicano e atual Presidente Donald Trump.

A posse de Biden como 46.º Presidente dos Estados Unidos está marcada para 20 de janeiro de 2021.

ACOMPANHE AO MINUTO: A ELEIÇÃO DA DÉCADA

Veja também:

  • Não estou de acordo

    Opinião

    Não estou de acordo com métodos medievais para enfrentar uma pandemia. Se os vírus evoluíram, a organização da sociedade também deveria ter evoluído o suficiente para os combater de outra forma. O recolher obrigatório é próprio dos tempos obscuros e das sociedades não democráticas. Proibir as pessoas de circular na rua asfixia a economia e não elimina a pandemia.

    José Gomes Ferreira