Eleições nos EUA

Biden assegura a aliados asiáticos compromisso em matéria de defesa

Carolyn Kaster

Líderes australiano, sul-coreano e japonês já o congratularam pela sua recente vitória.

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, falou esta quinta-feira por telefone com três líderes de países aliados na Ásia, aos quais prometeu manter pactos de defesa mútua e restaurar as relações enfraquecidas sob a Presidência de Donald Trump.

Após uma série de apelos feitos por Biden aos líderes europeus, o ex-vice-Presidente também contactou o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga.

Esses três líderes já o congratularam pela sua recente vitória na eleição presidencial norte-americana, a qual o atual Presidente dos EUA, Donald Trump, recusa reconhecer.

O alerta do primeiro-ministro japonês

Durante a sua conversa com Biden, Suga emitiu um alerta severo sobre "a situação de segurança cada vez mais séria na região", de acordo com o relato das autoridades japonesas.

Após o aviso, Biden expressou o seu "profundo compromisso com a defesa do Japão" e as obrigações às quais esses dois países estão vinculados por tratados, segundo a equipa de transição presidencial.

Durante os quatro anos do Governo Trump, os aliados dos Estados Unidos na Ásia muitas vezes questionaram a disposição do Presidente de honrar os compromissos de Washington no caso de um conflito militar internacional.

Num movimento que provavelmente provocará uma reação de Pequim, Biden terá confirmado que os compromissos de defesa incluiriam as ilhas desabitadas de Senkaku/Diaoyu, que Tóquio e Pequim disputam há décadas.

As garantias de Biden

Na conversa com Moon, Biden terá descrito a aliança entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul como "pilar de segurança e prosperidade" na região. O Presidente eleito também se comprometeu a colaborar em "problemas comuns", como a Coreia do Norte e as mudanças climáticas.

Trump havia considerado retirar as tropas norte-americanas do Japão e da Coreia do Sul, onde cerca de 28.500 soldados norte-americanos estão estacionados para protegê-los da Coreia do Norte.

Durante a sua conversa telefónica com o primeiro-ministro australiano, Biden enfatizou a importância de "lidar com as mudanças climáticas", já que o governo conservador australiano é acusado de atrasar a implementação de medidas para combater esse fenómeno.

Morrison disse que a conversa por telefone com Biden foi "muito calorosa" e disse que Presidente eleito dos EUA não havia levantado a questão da neutralidade de carbono, mas sim de "tecnologias" que permitissem emissões mais baixas.

Trump endurece o bloqueio à nova administração

A campanha de Trump intentou processos em vários Estados, alegando uma fraude eleitoral generalizada no sufrágio de 03 de novembro, sem provas que substanciem a acusação.

Para ganhar a eleição em tribunal, Trump teria que reverter a votação na Pensilvânia, Geórgia e Nevada ou Arizona, todos eles estados onde Biden já foi declarado vencedor ou lidera claramente a votação.

Os últimos dados apontam que Biden tem 290 delegados no colégio eleitoral, acima dos 270 que garantem a vitória, enquanto Trump tem 217, faltando apurar 42.