Eleições nos EUA

Trump demite chefe da agência responsável pela segurança eleitoral

Carlos Barria

Chris Krebs contestou as acusações de Donald Trump de fraude generalizada nas eleições.

O Presidente cessante dos Estados Unidos anunciou na terça-feira a demissão do chefe da agência governamental responsável pela segurança eleitoral que contestou as acusações de Donald Trump de fraude generalizada nas eleições presidenciais.

"A recente declaração de Chris Krebs sobre a segurança das eleições de 2020 foi muito imprecisa, pois houve irregularidades e fraudes maciças", escreveu na rede social Twitter o republicano, que ainda nega a derrota nas eleições.

"Por esta razão, Chris Krebs foi demitido" da agência responsável pela cibersegurança das eleições, "com efeito imediato", acrescentou Trump.

A agência governamental tem procurado nos últimos dias afastar as acusações de fraude eleitoral.

"Não há provas de qualquer sistema de votação que tenha apagado, perdido ou alterado os boletins de voto, ou que tenha sido pirateado de qualquer forma", declarou aquela entidade, juntamente com outras agências norte-americanas responsáveis pela segurança eleitoral.

"As eleições de 3 de Novembro foram as mais seguras da história dos Estados Unidos", salientou a mesma agência.

Eleições nos EUA. Biden vence com 306 grandes eleitores e Trump com 232

Os principais órgãos de comunicação social norte-americanos projetaram na passada semana a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de 3 de novembro nos Estados Unidos, com 306 delegados ao Colégio Eleitoral, contra 232 do republicano Donald Trump.

Segundo os 'media' norte-americanos, entre eles a CNN e a NBC, nos dois estados em que os resultados ainda não tinham sido escrutinados, Biden foi declarado vencedor na Geórgia (16 grandes eleitores), enquanto Trump ganhou na Carolina do Norte (15).

Com estas projeções, Biden, que, a 11 deste mês, já tinha ultrapassado os 270 delegados no Colégio Eleitoral - a metade dos 538 votos deste órgão mais um - pode ser indicado como o Presidente eleito dos Estados Unidos.