Eleições nos EUA

Eleições nos EUA. Secretário do Estado da Geórgia certifica eleição de Joe Biden

Tom Brenner

Este é mais um passo para dar por terminados os resultados de uma eleição para a Presidência dos Estados Unidos.

O principal responsável pelas eleições na Geórgia certificou esta sexta-feira os resultados eleitorais, que confirmam a vitória do democrata Joe Biden no Estado.

Este é mais um passo para dar por terminados os resultados de uma eleição para a Presidência dos Estados Unidos, repleta de acusações infundadas de fraude por parte de Trump e dos seus apoiantes.

Cabe agora ao governador republicano Brian Kemp certificar, até às 17:00 de sábado, o quadro de resultados do Estado que permite ao candidato vencedor obter 16 delegados para o Colégio Eleitoral.

Os resultados, certificados pelo secretário do Estado da Geórgia, o republicano Brad Raffensperger, dão a Biden 2,47 milhões de votos, a Donald Trump 2,46 milhões de votos e a Jo Jorgensen 62,138.

Joe Biden venceu a votação de 3 de novembro, na Geórgia, onde os democratas não ganhavam desde 1992, por uma margem de 12,670 votos, o equivalente a 0,25%.

A certificação dos resultados comunicada pelos 159 condados do Estado seguiu-se a uma contagem meticulosa dos cinco milhões de votos.

A contagem resultou de uma auditoria exigida por uma nova lei estatal e não em resposta a qualquer suspeita de problemas com os resultados no Estado ou a um pedido oficial de recontagem. A auditoria destinava-se a confirmar que as máquinas de votação tinham apurado corretamente os votos.

"Trabalhando como engenheiro ao longo da minha vida, vivo pelo lema de que os números não mentem", disse o secretário do Estado, Brad Raffensperger, durante uma conferência de imprensa no Capitólio estatal. "Como secretário de Estado, acredito que os números que apresentámos hoje estão corretos. Os números refletem o veredicto do povo, não uma decisão do gabinete do secretário de Estado ou dos tribunais ou de qualquer das campanhas'', acrescentou.

Kemp anunciou uma conferência de imprensa para esta sexta-feira. O governador republicano não defendeu a integridade das eleições perante as acusações de Trump, nem apoiou Raffensperger na sua afirmação de que a eleição foi conduzida de forma justa.

Agora que os resultados estão certificados, a campanha de Trump tem dois dias úteis para solicitar uma recontagem, uma vez que a margem está dentro dos 0,5%. Essa recontagem seria feita utilizando máquinas de digitalização que leem e totalizam os votos e seria paga pelos condados, disse o secretário do Estado da Geógia.

A contagem manual produziu algumas ligeiras diferenças em relação à contagem anterior, mas nenhum condado individual mostrou uma variação na margem superior a 0,73%, e a variação na margem em 103 dos 159 condados do estado era inferior a 0,05%, informou Raffensperger.

São os totais certificados pelos condados, e não os resultados da contagem manual, que foram certificados.