UEFA Euro 2020

Euro. Polícia investiga insultos racistas nas redes sociais aos jogadores ingleses

Jogadores que falharam os penáltis decisivos foram alvo de insultos.

Os jogadores ingleses que falharam os penáltis decisivos foram alvo de insultos racistas nas redes sociais. A situação foi imediatamente condenada pelo primeiro-ministro, Boris Johson, e pela Família Real. A polícia de Londres anunciou que já abriu uma investigação.

O racismo também é um problema do futebol. Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka são só as mais recentes vítimas. Os três jogadores que falharam os penáltis na final com Itália estão a ser insultados de forma vil e primária por adeptos ingleses,

nas redes sociais. Comportamentos que estão a ser fortemente condenados pelo primeiro-ministro britânico.

Também os duques de Cambridge, que assistiram à final em Wembley repudiaram o que aconteceu, a seguir ao jogo.

O príncipe William escreveu no Twitter "que ficou enojado" com o abuso racista dirigido aos jogadores da Inglaterra e acrescentou ser inaceitável que os jogadores tenham de suportar este comportamento odioso.

Também a seleção inglesa mostrou a revolta que sentia através das redes sociais.

Mas mais do que palavras importam ações concretas. Os apelos têm sido feitos pela Federação Inglesa de Futebol,

que já em maio pediu ao governo britânico para que legislasse de forma a obrigar as redes sociais a tomarem medidas contra os insultos 'online'.

Apelo semelhante fez, esta segunda-feira, o antigo internacional inglês Gary Neville.

A luta contra o racismo é uma luta que o 7 vezes campeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, tem feito sua. Esta segunda-feira, voltou a fazê-lo. No Instagram, apelidou o comportamento de alguns adeptos de nojento e renovou a esperança num mundo, onde os jogadores negros não tenham de provar o lugar e o valor apenas através de vitórias.

Nas últimas horas, o mural de Marcus Rashford, em Manchester também foi vandalizado.