George Floyd

Ex-polícia acusado de asfixiar George Floyd invoca lei e recusa-se a testemunhar em tribunal

"Invoco hoje o meu direito à Quinta Emenda", disse Derek Chauvin, referindo-se ao seu direito contra a auto-incriminação, nos termos da Constituição dos Estados Unidos da América.

O ex-polícia acusado de ter asfixiado o cidadão afro-americano George Floyd em maio de 2020 e atualmente a ser julgado na cidade de Minneapolis, informou esta quinta-feira o tribunal de que não vai testemunhar no processo.

"Invoco hoje o meu direito à Quinta Emenda", disse Derek Chauvin, referindo-se ao seu direito contra a auto-incriminação, nos termos da Constituição dos Estados Unidos da América (EUA), afirmando que não iria testemunhar no processo contra si próprio.

Perante tal declaração, o juiz Peter Cahill questionou o ex-agente policial: "É esta a sua decisão de não testemunhar?". "É, meritíssimo", declarou Derek Chauvin.

O ex-agente policial, de 45 anos, é acusado da morte do afro-americano George Floyd, caso que desencadeou uma vaga de emoção e de protestos antirracismo e contra a brutalidade policial em várias cidades norte-americanas e no mundo no ano passado.

Em 25 de maio de 2020, em plena via pública, Derek Chauvin ficou ajoelhado sobre o pescoço de Floyd durante oito minutos e 46 segundos, asfixiando mortalmente o afro-americano.

Na altura, câmaras de videovigilância e dos telemóveis de vários transeuntes registaram o gesto do então polícia, mas também a frase repetida várias vezes por Floyd: "Não consigo respirar".

Ex-agente declara-se inocente

O ex-agente policial declara-se inocente e a sua defesa assegura que George Floyd, suspeito de efetuar um pagamento com uma nota falsa de 20 dólares, morreu de uma overdose associada a problemas cardíacos no momento em que a polícia tentava neutralizá-lo.

O julgamento de Derek Chauvin entrou agora na terceira semana e a defesa, que começou na terça-feira a interrogar as suas testemunhas, deverá encerrar esta quinta-feira esta parte do processo.

O possível ou não testemunho de Derek Chauvin em tribunal era um assunto que vinha a ser alvo de especulação há várias semanas.

As argumentações finais estão previstas decorrer na segunda-feira e, depois de concluídas, o grupo de jurados selecionado para este mediático julgamento irá retirar-se para deliberar.

O veredicto dos jurados é aguardado para o final de abril ou início de maio.

  • 1:55