Guerra Rússia-Ucrânia

Putin confirma ataques russos em várias cidades ucranianas

Putin confirma ataques russos em várias cidades ucranianas
SERGEI CHUZAVKOV
Ataques foram provocados por mísseis de longo alcance e o objetivo era atingir infraestruturas de energia, militares e de comunicação, disse Putin.

O Presidente russo, Vladimir Putin, confirmou ao final da manhã desta segunda-feira que a Rússia é responsável pelos ataques que aconteceram em várias cidades ucranianas, nomeadamente em Kiev, onde pelo menos oito pessoas morreram.

Os ataques foram provocados por mísseis de longo alcance e o objetivo era atingir infraestruturas de energia, militares e de comunicação, disse Putin, que deixou ainda a promessa de que qualquer ataque “terrorista” em território russo teria uma resposta “dura” por parte de Moscovo.

O Kremlin defende que estes ataques fazem parte da “Operação Especial”, numa altura em que o Presidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, chegou a acordo com Putin para uma força conjunta.

Durante a manhã desta segunda-feira, 16 cidades ucranianas foram atacadas por 75 mísseis, mas pelo menos 41 foram intercetados. Zelensky deixou a garantia de que sistema antiaéreo está a funcionar. O apelo à população é que se mantenha em abrigos e siga todas as regras de segurança.

Há vários meses que a capital ucraniana não estava no centro do conflito, o último bombardeamento tinha ocorrido a 26 de junho. Para além de Kiev, durante a madrugada desta segunda-feira, a Rússia bombardeou outras cidades em toda a Ucrânia. Foram atingidos alvos em Khmelnytsky, Lviv e Dnipro , Vinnytsia, região de Frankiv, Zaporíjia, região de Sumy, região de Kharkiv, região de Zhytomyr e região de Kirovohrad, sul do país.

Esta escala do conflito acontece um dia depois de o Presidente russo ter acusado a Ucrânia do “ataque terrorista” que destruiu a ponte que liga a península da Crimeia a território russo. O Conselho de Segurança da Rússia vai reunir ainda esta segunda-feira para discutir este assunto.

O Presidente ucraniano, Vlodymyr Zelensky, já tinha acusado a Rússia de ser a responsável destes ataques, que tinham como alvo o maior número de pessoas possível e também as infraestruturas de energia do país.

"Eles têm dois alvos: as infraestruturas de energia em todo o país E as pessoas. O momento e os alvos foram especialmente escolhidos para causar o máximo de dano possível", afirmou Zelensky.

Zelensky falou de uma manhã "difícil" por estarem a lidar com "terroristas", mas não deixa de acreditar no povo ucraniano e na capacidade de reconstrução do país.

"Ajudamo-nos uns aos outros. Acreditamos em nós mesmos. Vamos recuperar tudo o que foi destruído."

O Presidente ucraniano não deixa de recordar: "A Ucrânia existia antes deste inimigo aparecer, e a Ucrânia vai continuar a existir depois dele. Glória à Ucrânia!"

Últimas Notícias