Guerra Rússia-Ucrânia

Cinco milhões de habitantes de territórios anexados estão "refugiados" na Rússia, diz Kremlin

Cinco milhões de habitantes de territórios anexados estão "refugiados" na Rússia, diz Kremlin
YURI KOCHETKOV

Ministério da Defesa russo diz cerca de 4 mil pessoas chegaram à Rússia nas últimas 24 horas.

O secretário do Conselho de Segurança russo, Nikolai Patrushev, afirmou que "cerca de cinco milhões de habitantes" dos territórios ucranianos anexados por Moscovo -- Lugansk, Donetsk, Kherson e Zaporijia -- se encontram atualmente na Rússia.

"Cerca de cinco milhões de habitantes do Donbass [leste ucraniano] e das regiões do sudeste da Ucrânia encontraram refúgio na Rússia", indicou o representante, na sequência de uma reunião do Conselho de Segurança russo, citado pelas agências noticiosas russas.

Segundo Patrushev, "continuará a ser concedida uma atenção particular" a estas pessoas provenientes das regiões ucranianas anexadas por Moscovo.

"À medida que foram garantidas condições de segurança nestas regiões, o Estado fornecerá uma total assistência no seu regresso aos locais de residências permanente", prometeu, sem precisar o momento em que poderá ocorrer.

Um boletim do Ministério da Defesa russo divulgado refere que, desde o início da ofensiva russa, 4,6 milhões de pessoas que viviam na Ucrânia, incluindo cerca de 700.000 crianças, estão atualmente em território da Rússia.

Segundo o boletim, perto de 4.000 pessoas chegaram à Rússia nas últimas 24 horas.

Por sua vez, um responsável ucraniano da região de Kherson, sul da Ucrânia, denunciou a "deportação" de civis da cidade, retirados em direção à Rússia pelas autoridades de ocupação devido à contraofensiva do Exército de Kiev.

"A anunciada retirada equivale a uma deportação. O seu objetivo é fomentar uma espécie de pânico em Kherson e uma imagem para a propaganda", denunciou o deputado local Serguii Khlan em conferência de imprensa.

Últimas Notícias
Mais Vistos