Guerra Rússia-Ucrânia

"Terrorismo energético" é a nova tática da Rússia

Opinião

Loading...

O comentador Germano Almeida analisa os últimos desenvolvimentos da guerra na Ucrânia.

As cidades ucranianas voltam a ser alvos das tropas russas, que dispararam mísseis inclusive em Kiev. O comentador da SIC, Germano Almeida considera que a tática da Rússia de "terrorismo energético" começou no dia 10 de outubro e tem vindo a verificar-se com os bombardeamentos em centrais hidroelétricas e à capacidade de energia.

Com a Ucrânia a enfrentar a aproximação do inverno, com temperaturas negativas, a Rússia está a atingir várias infraestruturas energéticas.

"Não há coincidências. É claramente uma guerra psicológica dos russos para afetarem a moral dos civis ucranianos".

Na ótica de Germano Almeida, a Rússia está a sair da frente de batalha e está a atacar civis ucranianos através de uma tática de "medo, desmoralização e desneutralização da capacidade de energia ucraniana".

Depois de suspensa a participação da Rússia no acordo sobre as exportações de cereais e fertilizantes, Germano Almeida defende que "voltamos a retirar a conclusão de que a Rússia não é de confiar".

A França colocou em cima da mesa a possibilidade da Ucrânia recorrer a rotas terrestres para a exportação de cereais, mas Germano Almeida afirma que "não é viável economicamente".

"A Rússia não está preocupada com a recuperação internacional e quer recuperar o controlo do Mar Negro".