Guerra Rússia-Ucrânia

Medvedev ameaça Ocidente: derrota da Rússia "pode provocar uma guerra nuclear"

Dmitry Medvedev
Dmitry Medvedev
Ekaterina Shtukina

Ex-Presidente russo alerta contra o envio de mais armamento pesado à Ucrânia e deixa ameaças aos países do ocidente, a quem chama de "foliões ‘atrasados mentais’”.

O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, o ex-presidente Dmitri Medvedev, alertou esta quinta-feira o "Ocidente" contra o envio de armamento pesado à Ucrânia, afirmando que a derrota russa numa guerra convencional pode provocar um conflito nuclear.

"Na base da NATO em Ramstein (Alemanha), os grandes líderes discutem novas táticas e estratégicas, assim como o abastecimento de novas armas e sistemas de ataque à Ucrânia. Isto acontece depois do Fórum de Davos onde foliões 'atrasados mentais' repetiram como um mantra:'para se conseguir a paz, a Rússia deve perder'", afirmou Medvedev ameaçando com a possibilidade de um agravamento da situação militar.

"E a nenhum desses miseráveis lhes ocorre retirar uma conclusão elementar: a derrota de uma potência nuclear numa guerra convencional pode provocar uma guerra nuclear", acrescentou.

As posições de Medvedev foram expressas através do sistema digital de mensagens Telegram.

“As potências nucleares não perdem os grandes conflitos”

Na mesma declaração, o vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia reitera as mesmas ameaças: "As potências nucleares não perdem os grandes conflitos de que dependem o seu próprio destino".

"Isto deveria ser óbvio para qualquer pessoa. Inclusivamente para um político ocidental que conserve, pelo menos, o mínimo rasgo de inteligência", declarou.

O ex-vice-presidente da Rússia emite novas ameaças sobre a possibilidade de um conflito nuclear precisamente na véspera da reunião do Grupo de Contacto para a Defesa da Ucrânia, na base aérea norte-americana de Ramstein na Alemanha.

Os países que apoiam Kiev devem anunciar novas ajudas militares à Ucrânia.

No mesmo sentido, esta quinta-feira, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel reúne-se o chefe de Estado e membros do governo prevendo-se encontros onde deve discutir novas ajudas militares à Ucrânia, país que voltou a ser invadido pela Rússia em fevereiro do ano passado.

Zelensky quer recuperar Crimeia e pede mais armas ao Ocidente

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse esta quinta-feira que quer recuperar a Crimeia, região anexada pela Rússia em 2014, e apelou aos parceiros ocidentais para entregarem mais armas.

"O nosso objetivo é libertar todos os nossos territórios", disse o líder ucraniano, que falava numa videoconferência à margem do Fórum de Davos, na Suíça.

“A Crimeia é nossa terra, nosso território, nosso mar e nossas montanhas. Deem-nos as vossas armas e teremos as nossas terras de volta.”

Na ocasião, o líder de Kiev também criticou a hesitação da Alemanha em autorizar a entrega de tanques pesados, dizendo que essa não é a "estratégia certa".

Últimas Notícias