Guerra Rússia-Ucrânia

Suécia vai começar a enviar sistemas de artilharia pesada para a Ucrânia

Soldado ucraniano dispara um míssil  antíctone NLAW
Soldado ucraniano dispara um míssil antíctone NLAW
Vadim Ghirda

A decisão foi comunicada em conferência de imprensa após uma reunião do Executivo de Estocolmo. O apoio militar é decisivo, disse o primeiro-ministro da Suécia, porque pode alterar "as iniciativas sobre as tomadas de posição" no terreno no próximo inverno.

A Suécia decidiu iniciar o envio de material bélico para o Exército ucraniano, incluindo canhões de campanha modelo Archer e obuses que já tinham sido pedidos por Kiev, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro sueco Ulf Kristersson.

A decisão foi comunicada em conferência de imprensa após uma reunião do Executivo de Estocolmo tendo o primeiro-ministro anunciado “a primeira” medida sobre o abastecimento de sistemas de artilharia pesada (Archer) para a Ucrânia, país invadido pela Rússia.

A Suécia, que abandonou em 2021 a doutrina que impedia o envio de armamento para a Ucrânia, vai também mandar para Kiev 50 blindados de combate CV-90, assim como mísseis antitanque NLAW (portáteis).

O anúncio de Estocolmo ocorre na mesma altura em que vários países "ocidentais" decidem abastecer a Ucrânia com material de guerra.

Armamento pode alterar "as iniciativas sobre as tomadas de posição"

O apoio militar é decisivo, disse o primeiro-ministro da Suécia porque pode alterar "as iniciativas sobre as tomadas de posição" no terreno no próximo inverno.

Com um alcance de mais de 30 quilómetros, e com alguns obuses adaptados para excederem os 50 quilómetros, o sistema de artilharia Archer, produzido pelo gigante de armas sueco BAE Systems, pertence à mesma classe que os canhões franceses (Caesar).

Colocado num camião todo-o-terreno, a peça de artilharia de campanha Archer é capaz de disparar vários obuses em poucos segundos, e depois mover-se para uma outra posição, tornando-o eficaz na destruição da artilharia inimiga.

50 países reúnem-se sexta-feira

O grupo de contacto para a Ucrânia, que reúne cinquenta países liderados pelos Estados Unidos, reúne-se sexta-feira na base norte-americana de Ramstein, Alemanha, para coordenar a ajuda militar à Ucrânia.

Nos últimos dias, o Reino Unido anunciou o envio de veículos Challenger 2; a França deve abastecer a Ucrânia com os carros ligeiros AMX-10 RC e a Holanda mostrou disposição para enviar baterias terra-ar Patriot (fabrico norte-americano).

Últimas Notícias
Mais Vistos