Isabel II

A rainha morreu: e agora? Conheça os detalhes da Operação “London Bridge”

A rainha morreu: e agora? Conheça os detalhes da Operação “London Bridge”
Sean Gallup

Explicamos-lhe, por pontos, o que vai acontecer a partir desse momento.

Com a morte da Rainha Isabel II será lançada a operação “London Bridge” (Ponte de Londres, em português), alegado nome código da monarca.

Explicamos-lhe o que vai acontecer a partir deste momento:

  • “London Bridge is down” (A Ponte de Londres caiu) - é assim que é transmitida a notícia da morte da Rainha à primeira-ministra britânica e ao secretário de Gabinete.
  • O Ministério dos Negócios Estrangeiros enviará a notícia para os 14 governos fora do Reino Unido onde a rainha era chefe de Estado e para os outros 38 países da Commonwealth.
  • O dia da morte da Rainha será classificado como “D-Day” (Dia D, em português) e todos os dias que se seguirem até ao funeral serão nomeados como D-Day+1, D-Day+2 e por aí fora. O funeral acontece ao 10.º dia.
  • Todos os ministros do Governo britânico serão imediatamente informados por e-mail da morte da Rainha. Assim que estas comunicações forem enviadas, as bandeiras de Whitehall, o centro administrativo do Reino Unido, serão colocadas a meia-haste.
  • A agência de notícias Press Association envia um comunicado para as redações de todo o mundo ao mesmo tempo que um servente colocará, no exterior do Palácio de Buckingham, o comunicado oficial da morte.
  • Os plenários dos Parlamentos de Inglaterra, da Escócia, do País de Gales e da Irlanda do Norte serão adiados. Se não estiver reunido, o Parlamento britânico será chamado.
  • O site oficial da realeza britânico será atualizado para uma página em preto e mostrará o comunicado a confirmar a morte. O site do Governo britânico terá uma faixa negra no topo.
  • A primeira-ministra britânica deverá ser a primeira a pronunciar-se.
  • A família real britânica divulgará o plano para as cerimónias fúnebres reais e será anunciado o minuto de silêncio.
  • Depois disso, arranca a Operação de sucessão ao trono apelidada de “Spring Tide” (maré viva, em português). A primeira-ministra irá receber o novo Rei, Carlos, filho de Isabel II e primeiro na linha de sucessão. Carlos, enquanto Rei, vai adotar o nome Carlos III.
  • O Rei Carlos falará à nação.
  • A primeira-ministra e um pequeno número de ministros participarão numa cerimónia em memória da Rainha na Catedral de St. Paul.


Dia D (9 de setembro)

O Rei Carlos III viaja do Castelo de Balmoral, na Escócia, onde passou a noite, até Londres. Já no Palácio de Buckingham, recebe a primeira-ministra britânica, Liz Truss, para a primeira audiência. No mesmo dia, discursa pela primeira vez à nação enquanto Rei.

Dia D 1 (10 de setembro)

Carlos III será proclamado Rei numa cerimónia de ascensão, às 10:00. Pela primeira vez na história da monarquia britânica, esta cerimónia será transmitida em direto pelas televisões britânicas.

Dia D 2 (11 de setembro)

O corpo da Rainha sai de Balmoral para Edimburgo.

Dia D 3 (12 de setembro)

Neste dia, o corpo segue para a catedral de St. Giles, em Edimburgo, onde decorre o velório durante a noite.

O The Guardian diz ainda que o Rei começará as visitas de Estado à Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, como parte da Operação “Maré Viva”.

Dia D 4 (13 de setembro)

O corpo da Rainha é transportado para o Palácio de Buckingham, em Londres, no comboio real.

Neste dia termina a “Operação Unicórnio”. A partir do momento em que a rainha passa a fronteira da Escócia começa a “Operação London Bridge”.

Dia D 5 (14 de setembro)

Chega a St. Pancras, em Londres, e depois segue para Buckingham. Às 14:30 sai do palácio, com escolta de 120 membros da Marinha Real, em direção a Whitehall e Westminster. A família irá caminhar atrás do caixão, tal como aconteceu com o funeral da princesa Diana.

A partir deste dia e até dia D10, o local do velório, em Westminster Hall, estará aberto ao público 23 horas por dia. São esperadas cerca de três milhões de pessoas, com as filas a passar a ponte de Lambert até Globe Theater.

Dia D 6 (15 de setembro)

Prossegue o velório.

Dia D 7 e Dia D 8 (16 e 17 de setembro)

O Rei Carlos III prossegue as suas visitas de Estado pelo Reino Unido.

Prossegue também o velório de Isabel II.

Dia D 9 (18 de setembro)

São esperados milhares de visitantes em Londres para os últimos dias em que poderão prestar homenagem à rainha. É esperado que comecem a chegar a Londres personalidades internacionais para o funeral.

Dia D 10 (19 de setembro)

O corpo da rainha sai de Westminster Hall em direção a Westminster Abbey, onde são esperados Reis e Presidentes de muitos dos países do mundo. A chegada do caixão está prevista para as 11:00.

A cerimónia de Estado será transmitida pelas televisões britânicas e serão cumpridos dois minutos de silêncio.

Após o funeral, o caixão seguirá em cortejo até ao Castelo de Windsor, onde decorrerá uma nova cerimónia religiosa.

Segue-se depois o funeral, um momento privado e sem direito a imagens.

Artigo atualizado às 18:45 de dia 09-09-2022.

Últimas Notícias
Mais Vistos