Jogos Olímpicos

Missão Olímpica de Portugal. "Atletas já se adaptaram às restrições sanitárias"

Chefe da Missão Olímpica de Portugal sublinha que os Jogos Olímpicos têm uma dimensão maior que qualquer competição internacional.

O Chefe de Missão de Portugal aos Jogos Olímpicos assegurou que os atletas já assimilaram as exigências sanitárias com a retoma do desporto, na sequência da pandemia de covid-19, o que facilitará a adaptação às restrições em Tóquio2020.

"O retomar das competições internacionais veio fazer algum caminho para os preparar para Tóquio. A questão dos testes, a limitação dos contactos, é uma experiência entretanto adquirida e vai facilitar na gestão da ansiedade nos Jogos, mas os Jogos têm uma dimensão ligeiramente superior. Há muitos contactos, habitualmente, que agora estão muito mais limitados. Essa vai ser a principal diferença", assinalou Marco Alves.

Em entrevista à agência Lusa, Marco Alves assumiu como inevitável que os Jogos, que foram pela primeira vez na história adiados devido à pandemia, vão ficar marcados por todas estas condicionantes.

"Não há dúvida. É incontornável, tudo é influenciado pela pandemia. (...) Os atletas também se habituaram a competir sem público, as coisas vão sendo construídas e retomadas", salientou.

Com 92 atletas qualificados, em 17 modalidades, Marco Alves relativizou os casos de infeção pelo novo coronavírus ocorridos entre os elementos da missão lusa desde o início da pandemia, dizendo desconhecer o impacto no seu rendimento desportivo.

"Esta é uma situação que não é só nacional. Até a nível internacional, vários atletas abandonaram a qualificação por via da infeção. Em Portugal, isso também aconteceu com alguns casos, e isso é uma situação que ainda está por estudar, não só na população em geral, mas também nas capacidades fisiológicas de atletas em algumas modalidades. É um estudo que está por fazer", observou.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 vão ser disputados entre 23 de julho e 8 de agosto, depois do adiamento por um ano devido à pandemia de covid-19.

Veja também:

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia