Luanda Leaks

Rui Pinto entregou documentos da Luanda Leaks a um advogado em 2018

O disco rígido foi entregue a um advogado francês, que além de defender Rui Pinto é também líder da Plataforma para a Proteção de Denunciantes em África.

Rui Pinto alega ser o denunciante por trás da investigação Luanda Leaks.

O hacker, conhecido pelo caso Football Leaks, terá conseguido entrar nos sistemas informáticos das empresas de Isabel dos Santos e recolher 715 mil documentos.

Os advogados dizem que o fez em 2018 quando entregou um disco rígido com os documentos à Plataforma para a Proteção de Denunciantes em África.

De acordo com o The New York Times, parte dos documentos podem ter sido encontrados no ataque informático à sociedade de advogados PLMJ. Em resposta enviada à SIC, a PLMJ afirmou que não tem evidência de que provenha dos seus servidores qualquer das informações até agora divulgadas.

A sociedade de advogados assegura ainda que nunca teve posse de muitas dessas informações e que não interveio nos assuntos em causa.

LUANDA LEAKS: A INVESTIGAÇÃO

A Luanda Leaks, uma investigação do Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação, é a maior investigação jornalística alguma vez feita aos negócios da empresária angolana Isabel dos Santos. Mais de 715 mil documentos foram analisados por 120 jornalistas dos maiores órgãos de comunicação social de todo o mundo começaram a ser divulgados.

O Expresso e a SIC associaram-se a este consórcio internacional e revelam como a filha do antigo Presidente de Angola fez chegar pelo menos 115 milhões de dólares dos cofres da Sonangol a uma sociedade do Dubai, controlada por pessoas próximas. Todas elas portuguesas.

Veja também:

  • 1:44