Qatar 2022

Quando o dinheiro "fala mais alto" no Mundial do Qatar

Loading...

O treinador português Carlos Queiroz, selecionador do Irão, ficou irritado após questão sobre os direitos das mulheres no país.

O Mundial do Qatar realiza-se num país que não respeita os direitos humanos. O evento junta vários países como o Irão, que tem um histórico ainda pior quando se tratam de direitos fundamentais dos cidadãos. Quando o selecionador do Irão, Carlos Queiroz, foi questionado sobre isto, exaltou-se.

Carlos Queiroz é um dos três treinadores portugueses que vai estar no Mundial do Qatar. Um campeonato do mundo polémico em várias medidas e em particular no âmbito dos direitos humanos.

O jornalista da Sky News perguntou: "Não se importa de representar um país como o Irão, neste Mundial, um país que reprime os direitos das mulheres?"

A resposta do selecionador foi: "Quanto me paga para responder a essa pergunta? Fale com o seu patrão e, no final do Mundial, posso responder-lhe, se me fizer uma boa oferta".

Para este Mundial, algumas equipas têm feito protestos como a Austrália, com mensagens dos jogadores a pedir mudanças no Qatar e da Dinamarca com equipamentos marcados pelo luto.

De França vem a reação do capitão de equipa, Hugo Lloris, quando questionado sobre se vai usar a braçadeira "One Love", de apoio à continuidade LGBTQI+.

Últimas Notícias
Mais Vistos