Orçamento do Estado

Novo Banco destaca garantias de António Costa ao BCE

António Ramalho considera a decisão do Parlamento um “percalço”.

O diretor executivo do Novo Banco considera um “percalço” o congelamento da injeção de dinheiro do fundo de resolução. António Ramalho vai analisar cuidadosamente a decisão do Parlamento e lembra que o Novo Banco está já sob forte escrutínio.

Em comunicado enviado à CMVM, o Novo Banco destaca as garantias de António Costa feitas à presidente do Banco Central Europeu e reitera a boa posição líquida da instituição. O Presidente da República recusa para já fazer comentários.

O conselheiro de Estado Francisco Louçã não acredita que Marcelo envie a decisão para o Tribunal Constitucional e considera que o Governo perdeu a cabeça.

A proposta do Bloco de Esquerda foi aprovada no Parlamento com voto favorável do PSD. A injeção de mais dinheiro no Novo Banco fica dependente dos resultados da auditoria pública.

ORÇAMENTO APROVADO, MAS NÃO HÁ TRANSFERÊNCIA PARA O NOVO BANCO

O Orçamento do Estado para 2021 foi aprovado em votação final global na quinta-feira, com votos a favor apenas do PS, abstenções de PCP, PAN, PEV e das deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues, e votos contra de PSD, BE, CDS-PP, Iniciativa Liberal e Chega.

Na especialidade, foi aprovada uma proposta do Bloco de Esquerda (BE) que anula a transferência de 476 milhões de euros do Fundo de Resolução para o Novo Banco, que teve votos a favor também de PSD, PCP, PEV, Chega e da deputada não inscrita Joacine Katar Moreira, abstenções de CDS-PP e PAN e votos contra do PS.