Orçamento do Estado

OE 2022: divórcio litigioso entre ex-parceiros da Geringonça

Votação parlamentar fica marcada pela acesa troca de argumentos e acusações entre o PS e os partidos de Esquerda.

Antes da votação do Orçamento do Estado para 2022, os ex-parceiros de Geringonça voltaram a esgrimir os argumentos que levaram ao chumbo do diploma.

O primeiro momento mais aceso foi quando a líder parlamentar do Partido Socialista, Ana Catarina Mendes, começou o discurso dizendo que "há seis anos, os portugueses escolheram um caminho", obtendo da oposição uma reação efusiva.

O debate ficou marcado, também, por um crónico "passa culpas" entre as bancadas.

A número um do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, também marcou outro momento bastante efusivo, quando refere que "o Governo passou dois dias a repetir que este é o Orçamento do Estado mais à Esquerda de sempre, e a frase é tão oca que até a Direita a repetiu".

Já do lado do Partido Comunista Português, na voz de João Oliveira, embora num tom mais leve, parece haver consonância com o que foi dito pelo Bloco de Esquerda.

Por fim, o PAN, pela líder Inês de Sousa Real, que se absteve na votação, refere que "a situação só vai piorar".

Veja também: