Vacinar Portugal

Covid-19. Coordenador do plano de vacinação avisa que prazo pode derrapar para 2022

Devido aos atrasos nas entregas das vacinas.

O vice-almirante Gouveia e Melo, coordenador do plano de vacinação contra a covid-19, assumiu que vive com a instabilidade da entrega das doses da vacina e que os atrasos podem fazer o prazo podem derrapara para 2022.

O plano de vacinação aponta que até ao fim do verão, 70% da população portuguesa terá tomado uma dose da vacina, mas esta quarta-feira, o vice-almirante Gouveia e Melo avisou os deputados que a instabilidade de entregas pode fazer derrapar os prazos.

O coordenador do plano de vacinação falava numa audição parlamentar, um dia depois da AstraZeneca, uma das farmacêuticas que está a produzir vacinas, avisar que entre abril e agosto vai entregar menos de metade das vacinas aos países da União Europeia.

Aos parlamentares, Gouveia e Melo fez ainda questão de dizer que, desde que assumiu o cargo, está a fazer pressão sobre o cumprimento das regras de prioridade na vacinação e sente já o efeito, não havendo novas irregularidades a registar.

  • "Quando cheguei ao hospital estava a ter um enfarte"

    Olhar pela Saúde

    Anos a fio de uma alimentação à base de gorduras e excesso de sal, tabagismo e sedentarismo fizeram com que José Santos fosse parar a uma cama de hospital aos 48 anos. O diagnóstico: enfarte agudo do miocárdio provocado por colesterol elevado e hipertensão arterial. Vários hábitos tiveram de mudar e as idas ao médico passaram a ser mais frequentes.

    Exclusivo Online

    Bárbara Ferreira

  • 2:33