Vacinar Portugal

Covid-19. Brasil aprova estudo para terceira dose de vacina da AstraZeneca

Matthias Schrader

O estudo irá contar com a participação de dez mil voluntários.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão regulador de medicamentos do Brasil, aprovou esta segunda-feira um estudo clínico para avaliar a segurança, eficácia e a imunogenicidade de uma terceira dose da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca.

Em comunicado, a Anvisa frisou que o medicamento de reforço será aplicado em voluntários que já receberam a segunda dose da vacina há 11 meses até 13 meses.

Serão incluídos voluntários com idade entre 18 e 55 anos, que estejam altamente expostos à infeção com o novo coronavírus, como profissionais de saúde. Não serão incluídas grávidas ou pessoas com comorbidades.

"O estudo, patrocinado pela AstraZeneca, será realizado somente no Brasil, nos estados da Baía (1.500 voluntários), Rio de Janeiro (1.500 voluntários), Rio Grande do Sul (3.000 voluntários), Rio Grande do Norte (1.500 voluntários) e São Paulo (2.500 voluntários)", destacou a Anvisa.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo ao contabilizar 542.214 vítimas mortais e mais de 19,3 milhões de casos confirmados de covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.093.263 mortos em todo o mundo, entre mais de 190,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Veja mais:

  • A escola como uma gigantesca perda de tempo

    País

    Pode ser Eva. Fez um teste de Geografia e foi a única da turma a ter negativa. Dos seus olhos formosos e inexpressivos, num rosto negro como o touro do Herberto Helder, ruíram-lhe duas lágrimas. Mas daquelas que represam tanta água - tanta mágoa - que deixam cicatrizes aquosas. 43%.

    Opinião

    Rui Correia