Mundo

Irão acusa EUA de serem "grave ameaça à estabilidade" da região e do mundo

O petroleiro "Front Altair", propriedade do grupo norueguês Frontline com bandeira das Ilhas Marshall, foi "atacado" entre os Emirados Árabes Unidos e o Irão.

STRINGER

Washington acusou Teerão de ser "responsável" pelos ataques no Golfo de Omã, acusações rejeitadas pelo ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros.

O Presidente do Irão, Hassan Rohani, acusou hoje os Estados Unidos de serem uma "grave ameaça à estabilidade" regional e mundial, após Washington responsabilizar Teerão pelos ataques contra dois petroleiros no mar de Omã.

"Nos últimos dois anos, o Governo dos Estados Unidos manifestou uma abordagem agressiva e representou uma grave ameaça à estabilidade na região e no mundo, violando todas as regras internacionais", disse Rohani, numa reunião da Organização de Cooperação de Xangai em Bichkek, no Quirguistão.

A declaração surge horas depois de o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, ter acusado o Irão de ser "responsável" pelos ataques no mar de Omã, acusações já hoje rejeitadas pelo ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros.

EUA divulgam imagens para acusar Irão de envolvimento nos ataques a petroleiros

Dois petroleiros, um norueguês e um japonês, foram na quinta-feira alvo de um ataque no mar de Omã, em pleno Golfo, uma região já sob tensão devido à crise entre os Estados Unidos e o Irão.

Segundo a agência oficial iraniana Irna, os ataques ocorreram a menos de 30 milhas náuticas da costa do Irão.

A região tem vivido no último mês uma escalada das tensões entre os EUA e o Irão.

Washington, que tem endurecido sistematicamente as sanções económicas e diplomáticas contra Teerão após sair de um acordo internacional de 2015 sobre o nuclear iraniano, multiplicou no início de maio as suas tropas no Médio Oriente, acusando o regime iraniano de preparar ataques "iminentes" contra interesses americanos.

Lusa

  • Porque há tantos incêndios em Portugal?
    2:48