Mundo

Calor em Espanha já matou duas pessoas, incluindo jovem de 17 anos

Heino Kalis

Para além do jovem, um idoso de 80 anos caiu inanimado numa rua de Valladolid, aparentemente vítima de golpe de calor. Um outro agricultor de 45 anos está internado em estado grave.

Daniel Ochoa de Olza

Segundo a autoridade regional de saúde da Andaluzia o jovem de 17 anos sofreu um golpe de calor quando estava a trabalhar no campo e terá tenta refrescar-se numa piscina, quando começou a ter convulsões.

O jovem residente na província de Castro del Rio, em Córdoba, deu entrada no Hospital Rainha Sofía de Córdoba às 12:00 de quinta-feira (11:00 em Lisboa) e hoje acabou por falecer às 01:25 (00:25 hora de Lisboa) depois de ter sido submetido a uma cirurgia.

A imprensa espanhola dá ainda conta de um idoso de 80 anos que terá caído inanimado numa rua de Valladolid e um agricultor de 45 anos está internado em estado grave, ambos aparentemente vítimas do calor abrasador que se faz sentir em Espanha e em especial no sul do país

1.ª vítima mortal causada pelo calor na Andaluzia este ano

Na quinta-feira, um homem de 45 anos foi internado no Hospital de Múrcia também devido ao calor, encontrando-se em estado grave.

O Ministério da Saúde espanhol deu as condolências à família da vítima mortal e recomendou aos cidadãos que evitem a exposição contínua ao sol e chamou a atenção para a necessidade de hidratação, em especial para pessoas com problemas de saúde, crianças e idosos.

Os efeitos da onda de calor na Europa

A onda de calor irregular que está a afetar a Europa está a provocar, além de incêndios, fecho de escolas, aumento da poluição, algumas mortes por choque térmico.

Em Milão, Itália, um sem-abrigo de 72 anos foi encontrado morto perto da gare central, vítima do calor, segundo as autoridades, e em França a morte de três pessoas nas praias da costa sul foi associada ao choque térmico.

A Europa está a ser afetada por uma onda de calor, com temperaturas de cerca de 40 graus centígrados na maior parte dos países, com exceção de Portugal, levando as autoridades a lançar alertas à população.

A vaga de calor tem origem no deserto do Saara e estará associado ao aquecimento global e a gases com efeito de estufa, segundo cientistas consultados pela agência de notícias francesa AFP.

Em Espanha, o instituto meteorológico (AEMET) divulgou uma série de recomendações relativas ao calor (beber muitos líquidos, cobrir a cabeça, não fazer exercício a meio do dia) e advertiu para o "risco extremo" de incêndios em regiões como Catalunha, Aragão, Navarra e Extremadura.

Por sua vez, o serviço meteorológico francês ativou pela primeira vez o alerta de calor extremo, com quatro departamentos no sul colocados no nível vermelho de vigilância devido às previsões de temperaturas de 42 a 45 graus nos próximos dias.

O resto do país permanece em alerta laranja e as previsões mostram que esta onda de calor só vai abrandar a partir de domingo.

Também a Alemanha está a ser atingida por temperaturas muito altas, com os serviços de meteorologia a estimarem que os termómetros poderão registar os valores mais altos dos últimos 70 anos, quando, em 1947, Frankfurt bateu recordes registado 38,2°C.

Com Lusa