Mundo

Segundo helicóptero do exército sírio abatido esta semana

Yamam Al Shaar

Primeiro helicóptero tinha sido atingido por um míssil das forças turcas.

Um helicóptero do exército sírio foi abatido esta sexta-feira no noroeste da Síria e os seus dois pilotos morreram, indicou uma ONG, sobre o segundo acidente do género esta semana, num contexto de tensão crescente entre Ancara e Damasco.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) disse que o helicóptero foi atingido por um míssil das forças turcas na província de Alepo.

"Os corpos dos dois pilotos foram encontrados", declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, à agência France-Presse.

Ancara não comentou o incidente no imediato. Na terça-feira, o OSDH divulgou o abate de um primeiro helicóptero do regime de Bashar al-Assad no noroeste do país em guerra, que também provocou a morte de dois pilotos. A ONG indicou que o aparelho tinha sido atingido por um míssil das forças turcas.

Neste caso, as autoridades da Turquia divulgaram a "queda" de um "helicóptero" do regime sírio, mas não reivindicaram qualquer responsabilidade no incidente.

Na semana passada, oito militares turcos foram mortos durante ataques do regime de Damasco na província de Idlib, o último bastião insurgente na Síria, controlado por 'jihadistas' e grupos rebeldes, alguns dos quais apoiados por Ancara. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem ameaçado Assad com uma resposta firme de Ancara, se o regime sírio não recuar no noroeste, mas as forças pró-governamentais têm vindo a progredir em Idlib e os turcos reforçaram as suas tropas.

Os militares turcos estão destacados em algumas áreas dos insurgentes com postos de observação criados para vigiar um cessar-fogo anterior que já não está em vigor.

As forças sírias, com o apoio da aviação russa, intensificaram em dezembro a operação pelo controlo de Idlib e já recuperaram dezenas de localidades, obrigando à fuga de meio milhão de pessoas, segundo a ONU. Ancara teme uma nova vaga migratória para a Turquia, país que já acolhe mais de 3,5 milhões de refugiados sírios.

Segundo as estimativas da ONU, a ofensiva militar das forças de Damasco nesta região, desde abril de 2019 até meados de janeiro, matou mais de 1.500 civis, incluindo várias centenas de mulheres e menores. Desencadeada em 2011, a guerra na Síria já causou mais de 380.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados.

  • DGS teve parecer positivo para uso generalizado de máscaras

    Coronavírus

    Em Portugal a Covid-19 já fez 295 mortes e 11.278 infetados. Chegou este domingo a Lisboa um avião da TAP fretado com material médico oferecido pela China no valor de 4,5 milhões de euros. 53 portugueses foram repatriados da Indonésia e da Índia. Boris Johnson foi este domingo internado no hospital para exames, 10 dias após testar positivo para coronavírus.

    SIC Notícias