Mundo

Juan Carlos "tem ligações profundas com Cascais"

Entrevista a Elena Fernandes, jornalista espanhola.

O antigo rei Juan Carlos comunicou esta segunda-feira ao filho que decidiu deixar Espanha e escolher outro país para viver, perante a repercussão pública das investigações sobre os seus alegados fundos em paraísos fiscais.

Juan Carlos diz que pretende facilitar o exercício das funções de Filipe VI, pelo que deixará de viver no Palácio da Zarzuela e sair de Espanha, perante "a repercussão pública" de "certos eventos do passado".

O rei emérito, que abdicou do trono há seis anos após vários escândalos, está a ser investigado por corrupção. Juan Carlos terá recebido 100 milhões de euros da Arábia Saudita.

Elena Fernandes, jornalista espanhola a viver em Portugal, acredita que Portugal pode ser um destino possível para o rei emérito, que tem ligações fortes com Cascais. Em relação à saída de Juan Carlos, considera que é uma "espécie de corta fogo à volta do atual rei", em que se tenta criar uma distância física para proteger Felipe VI.

  • Marcelo Rebelo de Sousa: aprender a perder para depois ganhar o país

    Presidenciais

    Marcelo Rebelo de Sousa foi um predestinado. Nasceu e cresceu à boleia da ditadura, mas a sua luta foi pela democracia. Parecia não alimentar a vontade de alcançar altos cargos políticos e chegou mesmo a invocar o nome de Deus em vão: "Nem que Cristo desça à Terra!", dizia Marcelo. Declarou também que dez anos como Presidente da República era muito tempo. Mas ei-lo de novo a contrariar-se e a seguir o caminho que já lhe vinha a ser apontado.

    Ana Luísa Monteiro