Mundo

Diplomata alemã morre nas explosões em Beirute

Hussein Malla

Membro da embaixada alemã em Beirute morreu no seu apartamento na sequência da explosão.

Uma diplomata alemã morreu nas explosões de terça-feira em Beirute, que fizeram pelo menos 137 mortos e milhares de feridos, anunciou esta quinta-feira o ministério dos Negócios Estrangeiros da Alemanha.

"Os nossos piores temores confirmaram-se. Um membro da nossa embaixada em Beirute morreu no seu apartamento na sequência da explosão. Todos os membros do Ministério dos Negócios Estrangeiros estão em luto", disse o ministro, Heiko Maas, num comunicado.

O edifício da embaixada alemã ficou danificado na explosão.

Responsáveis pelo porto de Beirute em prisão domiciliária

A CNN avança que um carregamento maciço de fertilizantes agrícolas ficou armazenado - de acordo com as autoridades - no porto de Beirute sem precauções de segurança durante vários anos, apesar dos avisos das autoridades locais.

A carga de 2.750 toneladas métricas de nitrato de amónio terá chegado a Beirute num navio de propriedade russa em 2013.

O navio, chamado MV Rhosus e que estava destinado a Moçambique, parou em Beirute devido a dificuldades financeiras.

Depois de chegar à capital libanesa, o navio nunca deixou o porto de Beirute, segundo o diretor de alfândega do Líbano, Badri Daher e apesar dos avisos feitos pelo diretor, que alertava a tripulação de que a carga era o equivalente a "uma bomba flutuante".

Os responsáveis pelo porto de Beirute estão em prisão domiciliária enquanto estiverem a decorrer as investigações às explosões, que ocorreram na terça-feira na capital do Líbano.

Veja também: